Opinião

#apagão

Ainda estou a recuperar do apagão das redes sociais do Facebook.

Foram mais de seis horas de puro terror, por não conseguir ler mensagens inspiradoras que tinha de partilhar por ser um dos oito amigos verdadeiros, e por não ver aquelas letras de músicas associadas a um pôr do sol, que me davam energia para continuar a trabalhar. Imagino que, tal como eu, mais pessoas sentem a ressaca de não ver um post de ódio de qualquer tipo e temem pela vida daquele familiar distante que partilha notícias falsas a acusar imigrantes ou refugiados de um crime qualquer (não esquecer o primeiro comentário que é sempre "disto não falam os jornais", escrito por alguém que não compra um único jornal há anos). Felizmente, já passou e podemos continuar na nossa vida habitual ao ritmo dos milhões de Zuckerberg e da próxima ideia para nos manter viciados na rede social.

*Jornalista

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG