Opinião

#troti

Como contei na semana passada, o meu meio de transporte para ir trabalhar diariamente é uma trotineta. Sempre que revelo a alguém a decisão que tomei em novembro, sou recebido com um olhar de espanto e um ligeiro sorriso trocista. Há um preconceito na nossa sociedade, que ainda vê o carro como um sinal de status. Como se costuma dizer, "é para o lado que durmo melhor". Ganhei qualidade de vida, poupei em tempo de deslocação e poupei em custos de combustível. Só vantagens. Mas quem é olhado de lado sou eu e não quem desperdiça tempo e dinheiro com a deslocação diária de automóvel. O problema é que, por vezes, até eu fico constrangido. Ainda há dias, a trotineta avariou a meio do caminho. Lá tive de entrar no metro com ela. Provavelmente, ninguém quis saber da minha existência, mas posso jurar que senti aquele olhar crítico: "um homem adulto a fingir que ainda é jovem".

*Jornalista

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG