por outras palavras

PSD arremata Fernando Nobre

PSD arremata Fernando Nobre

Fui dos que receberam com alguma expectativa a notícia da candidatura de Fernando Nobre, que apenas conhecia da AMI, à Presidência da República. Aparentemente tratava-se de alguém exterior ao regime, sem carreira partidária e talvez sem os compromissos sobre que se constroem as carreiras nos partidos.

As informações que davam Nobre como uma mera marioneta de Soares contra Alegre, deixaram-me de pé atrás, até porque o próprio viria a confirmar os encontros com Soares.

Mas o seu discurso de apresentação tirou-me todas as dúvidas. Não existia ali algo minimamente parecido com uma ideia, só um arrazoado de "slogans" em volta da questão da "cidadania" e a tentativa grosseira de capitalizar o descontentamento geral com os partidos reclamando-se, frase sim frase não, "apartidário" e contra o "sufoco partidário".

Testemunhos sobre o seu passado em Bruxelas e as suas anteriores posições políticas fizeram-me finalmente concluir que estávamos diante de um desses demagogos e oportunistas em que os tempos de crise são férteis.

Há cerca de 15 dias Nobre mantinha ainda o discurso antipartidos, garantindo que nunca integraria uma lista partidária. A fazer fé no seu ex-director de campanha, estaria já na altura a leiloar-se entre PS, CDS/PP e PSD.

Pelos vistos foi o PSD quem deu mais. Arrematou o candidato dos "valores" e dos "princípios" com a promessa da presidência da AR. E Nobre fez o negócio da sua vida.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG