Opinião

Dar a volta com a Volta

Dar a volta com a Volta

Começa amanhã mais uma edição da Volta a Portugal em Bicicleta. O facto de já terem sido corridas 77 voltas, espalhadas por quase 90 anos de história, concede a este acontecimento um lugar único no imaginário português. Atravessou a época da rádio, depois a dos filmes a preto e branco, antes de chegar às transmissões em direto, de dentro do próprio pelotão, com os mais avançados meios tecnológicos. Deu a conhecer belezas naturais, costumes e culturas locais, promovendo o território e aproximando os portugueses. Levou vida e fomentou o desporto, porta a porta. Foi, portanto, sempre, mais do que uma corrida!

Todavia, se hoje menciono o evento é porque, este ano, a Volta se propõe dar mais um passo em frente, associando ao seu próprio desenrolar duas iniciativas de grande valor simbólico mas, igualmente, com impacto efetivo: uma, sensibilizando todos para os ganhos que a todos trará uma mais eficiente, preocupada e responsável poupança na energia que dia a dia consumimos; e a outra, propondo-se comunicar e divulgar aquilo que de melhor se vai fazendo no país em matéria de ciência - no sentido mais amplo do termo - e de tecnologia.

É a esta última, à Volta a Portugal do Conhecimento, que naturalmente quero dedicar especial atenção. Cria-se hoje, entre nós, conhecimento novo da maior qualidade que muito serve ao país mas que o poderia ajudar muito mais: permitindo-nos perceber melhor quem somos enquanto sociedade, que políticas públicas nos servem melhor, como multiplicar as iniciativas de economia social. Permitindo-nos, também, fortalecer a nossa indústria e aumentar a sua capacidade de exportação, através de uma competitividade acrescida por superiores métodos de gestão e de comercialização; e por novos produtos, incorporando design mais imaginativo e inovação mais arrojada.

A importância da ciência e da tecnologia ainda não ocupa no imaginário dos portugueses o mesmo lugar da Volta a Portugal. E seria fundamental que ocupasse. Espero que a Volta contribua para dar a volta a esta situação. Neste momento em que estão abertas candidaturas ao Ensino Superior, é particularmente feliz este desígnio de associar territórios a ciência, levando, certamente, a que mais jovens possam sonhar com carreiras de cientistas e mais famílias possam incentivar os seus a prosseguirem caminhos de qualificação avançada.

Estão portanto de parabéns os membros do Governo, a Direção da Volta, a Federação Portuguesa de Ciclismo e a RTP por se juntarem para garantir este excelente casamento entre ciclismo e conhecimento.

*REITOR DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG