Opinião

A derrota confidencial

A derrota confidencial

O Bloco de Esquerda teve uma derrota eleitoral praticamente confidencial.

Nos meus tempos de estudante lembro-me que comentávamos muitas vezes que havia jogadores que eram "feitos" pelos jornais , mesmo quando os seus feitos em campo não justificavam tantos elogios. De todas essas situações, a mais flagrante de todas e de que por isso guardo uma memória bem viva é a do Carlos Manuel, o centrocampista que dizíamos "feito" pelo jornal "A Bola", que foi do Barreirense para o Benfica, onde depois se tornou uma referência. No início da carreira Carlos Manuel era endeusado pela maioria dos jornalistas deste à época trissemanário que dominava o panorama da informação desportiva. Agora é mais complicado descer aos pormenores, mas aquilo de que me lembro bem é que qualquer atuação ou detalhe deste jogador era posto nos píncaros e cada desgraça ou exibição falhada era relevada e quase ignorada em termos noticiosos.

Este introito é só para os leitores perceberem melhor o que vou escrever de seguida sobre o resultado do Bloco de Esquerda nas eleições de domingo e sobre a sua derrota eleitoral confidencial.

Desde que existiram sondagens publicadas sobre os resultados das legislativas, o Bloco de Esquerda apareceu sempre a subir e não me lembro de nenhuma que previsse menos de 10 %. Chegado o dia das eleições, as primeiras projeções foram na linha dessas sondagens e também não me recordo de nenhum jornalista ou comentador que não assinalasse a vitória bloquista. Quando começaram a disparar as reações de cada partido logo Catarina Martins veio comemorar em grande júbilo a vitória do BE. No dia seguinte, os jornais que se deram a esse trabalho incluíam o Bloco na lista dos vencedores lado a lado com o PS, o PAN e os três partidos que elegeram um deputado pela primeira vez - a Iniciativa Liberal, o Chega e o Livre. O que é que distingue o Bloco de Esquerda destes seus compagnons de route? Ao contrário de todos os verdadeiros vencedores destas legislativas, o partido das manas Mortágua não conquistou mais deputados nem teve mais votos. E até se ficou abaixo dos 10% anunciados. Em deputados e deputadas ficou na mesma (19) e em votos teve "só" menos 57 mil! Até hoje esta derrota permanece confidencial porque o BE é claramente um partido "feito" pelos jornais. Ainda que entre a Mariana e a Catarina e o Carlos Manuel eu vote imediatamente a favor delas.

*Empresário