Opinião

Agora está mesmo na hora

Agora está mesmo na hora

Agora que o verão está a ficar ao rubro. Agora que a campanha de vacinação contra a covid-19 bate recordes diários. Agora que a maioria dos portugueses já está ou vai estar no gozo das suas merecidas e ansiadas férias.

Agora que a retoma da nossa economia precisa de ter todas as pessoas a trabalhar, focadas no aumento da competitividade das empresas (pelo menos todas as que não estiverem de férias). Agora que já estão marcadas as eleições autárquicas para 26 de setembro e a campanha está na rua em força. Agora que os candidatos para estas eleições já são quase todos conhecidos (descontando porventura o caso do candidato da Direita em Gaia e mais um ou dois). Agora que os nossos estudantes estão a ultimar os seus exames e para muitos está a chegar a hora das grandes opções em relação ao seu futuro próximo. Agora que se antevê o início de mais uma época de incêndios e fogos florestais, em que toda a vigilância é pouca para evitar tragédias como as de Pedrógão ou Monchique. Agora que os grandes e mediáticos julgamentos estão a iniciar-se e ainda têm muito percurso pela frente (descontado o tempo das férias judiciais).

Agora que Portugal saiu do Euro 2020 um bocadinho mais cedo do que nós gostávamos, mas já temos todas as equipas a prepararem-se afincadamente para mais uma época. Agora que se começam a compor e a corrigir os atrasos inenarráveis a que foram condenados muitos doentes não covid. Agora que até o nosso presidente da República conseguiu vencer a sua tradicional e proverbial hipocondria mantendo-se firme na recusa de novo estado de emergência. Agora que já pudemos levantar o primeiro cheque da "bazuca" ou lá o que gostam de lhe chamar os que não simpatizam com o termo. Agora que até o Novo Banco ameaça dar lucro neste ano de 2021. Agora que o grande devedor Nuno Vasconcelos prometeu pagar aos seus ex-trabalhadores o que deve, ainda que continue refugiado no Brasil. Agora que parece afastada a hipótese de remodelação governamental tão apoiada pela oposição de Direita. Agora que na indústria têxtil muitas empresas estão a correr o risco de não cumprirem os prazos de entrega das encomendas que têm, por falta de mão de obra derivada de um anormal absentismo.

Agora... chegou a hora de sem demora voltarmos todos a trabalhar a 100 à hora. Agora chegou a hora de agradecermos encarecidamente todo o trabalho dos virologistas, epidemiologistas, e outros "istas" mais os matemáticos e deixá-los ir de férias, descansar do seu mediatismo. E para aqueles que ainda aguentarem, voltarem a fazer apenas e só o trabalho para que possuem formação específica.

Não é que tenha alguma saudade especial de Cavaco Silva, mas o que me apetece pedir hoje é mesmo: agora deixem-nos trabalhar!

Empresário

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG