Opinião

Guimarães Fashion Film capital

Guimarães Fashion Film capital

É já amanhã que as duas principais cidades minhotas vão contribuir com toda a garra e esperança para o retorno da nossa vida cultural ao mais normal que é possível nos tempos que correm.

Na Cidade Berço vai decorrer num dos cinemas do Espaço Guimarães a cerimónia de entrega de prémios da 7.ª edição do Fashion Film Festival. Esta organização, que tem uma parceria ativa e antiga com a Câmara Municipal de Guimarães e o Guimarães Marca, esteve inicialmente agendada para se realizar novamente na Black Box da Fábrica ASA/Lameirinho, mas a situação de emergência sanitária no passado mês de outubro impediu a sua realização nessa data. Há que dizer que quando muitos já aconselhavam a realização do evento em formato exclusivamente digital, foi a Câmara de Guimarães e o Guimarães Marca que sempre acreditaram que seria possível a sua realização no formato presencial até ao final do mês de abril. Como é apanágio das gentes de Guimarães, que eu tão bem conheço e que tanto admiro e gosto, aqui está o evento de pé, na forma possível, com as limitações obrigatórias, mas de pé. Tendo em conta que é exatamente um produto digital, os Fashion Films, que estão no centro do Festival, será caso para dizer que esta cerimónia presencial no Espaço Guimarães vai conseguir juntar o melhor de dois mundos.

No mesmo dia e no dia seguinte serão os meus estimados amigos Fernando Rocha e Pedro Abrunhosa a disponibilizarem-se para realizarem dois espetáculos que servirão de teste para avaliar a capacidade e a possibilidade de mais eventos do mesmo género, e de preferência com mais espectadores, a partir de 3 de maio. Infelizmente, ao longos dos últimos meses, tenho assistido a muito choro, baba e ranho vertidos por artistas e similares que pouco ou nada têm feito para tentar dar a volta à situação. Enfiados em casa, a tremer de medo do bicho ou refugiados nas redes sociais a dizerem mal da vida e dos outros, parece que ficaram reduzidos à arte de nada fazer a não ser dizer mal dos que fazem.

Neste núcleo claro que não se incluem, e desde há muito, artistas como Fernando Rocha e Pedro Abrunhosa, hoje aqui destacados por causa dos eventos de amanhã e depois. Graças a Deus de vários outros poderia dizer o mesmo (perdoem-me se mais uma vez seleciono alguns dos meus amigos) como José Cid, Luís de Matos, Rui Veloso, Rui Reininho, Inês Santos e Fernando Pereira. Sem esquecer o forte contingente de artistas que teve a coragem de dar a cara na maioria das emissões do "All together now" das noites de domingo da TVI.

*Empresário

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG