Opinião

Os ricos que querem pagar a crise

Os ricos que querem pagar a crise

Alguma experiência que eu fui tendo de contacto (ao de leve e com a devida distância social, como devem imaginar) com milionários, ajudou-me a consolidar uma ideia que eu tinha sobre a maioria destas personalidades. Ideia essa que era não tanto aquela de que o que interessa é saber como se ganhou o primeiro milhão, mas sobretudo a noção de que milhões sobre milhões nunca saciam a vontade de deixar de os ganhar.

Não é por acaso também que a sabedoria popular nos ensina que normalmente "Pai morre rico, filho nasce nobre e neto vive pobre". Como é evidente não estou a produzir essas afirmações a pensar em Portugal ou nos milionários portugueses, mas de uma forma transversal estou a referir-me aqueles que são os mais ricos do Mundo. Uma cautela que nunca fica mal referir, é que como é evidente há sempre exceções às regras ou às generalizações que estes pensamentos ou estas teorias estabelecem. E é importante alargar este âmbito aos milionários de todo o Mundo porque é exatamente deles, neste caso mais concretamente dos milionários americanos, que me chegou notícia que aqui quero sublinhar com a surpresa de que tenha tido tão pouco destaque, tratando-se claramente de uma situação daquelas em que é o "dono que morde o cão". Para quem não leu a notícia ela resume-se em duas linhas: um grupo relevante de multimilionários americanos fez um manifesto público exortando os governos de todo o Mundo a aumentar significativamente os impostos que incidem sobre os seus rendimentos em particular e sobre as suas fortunas e patrimónios em geral.

Nunca fui e continuo a não ser adepto daquele slogan que a UDP celebrizou nos tempos do PREC pós-25 de Abril: "Os ricos que paguem a crise". Não se trata de pôr os ricos a pagar a crise, nem aqui em Portugal nem em qualquer parte do Mundo, mas se há um grupo de multimilionários que acha que neste momento tem a responsabilidade e sobretudo a vontade de contribuir com mais empenho (e muitos mais dólares e muitos mais euros) para ajudar a combater a crise, convém que saibamos aproveitar rapidamente essa oportunidade. Mas por amor de Deus, espero que não venha aí a habitual ladainha dos pobres e mal-agradecidos a dizerem que nem em tempos de covid há almoços grátis, porque de certeza que se os milionários querem pagar mais, devem ter algum truque na manga para com essa generosidade ainda virem a engrossar mais os seus milhões.

*Empresário

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG