Imagens

Últimas

Margarida Balseiro Lopes

Interior e Constituição

As profundas assimetrias territoriais que assolam o nosso país há décadas encontrarão no despovoamento parte da explicação para o abandono a que o Interior tem sido sujeito. Os incêndios que afetaram Pedrógão Grande em 2017 e o mais recente que destruiu grande parte do pulmão da serra da Estrela são apenas dois exemplos que ajudam a ilustrar o esquecimento a que o poder político votou estas regiões. Ora, o esquecimento potencia este tipo de desastres e explica os atrasos das respostas e das ajudas que tardam em chegar às populações.

Margarida Balseiro Lopes

Pobres

Portugal tem atualmente quase dois milhões de pessoas a (sobre)viver com menos de 554 euros por mês. Sem os apoios sociais, o número seria de 4,4 milhões de pobres no país. Acima do limiar da pobreza estão 400 mil pessoas que, apesar de não se "enquadrarem" como pobres nos termos deste valor de referência, não têm condições de habitação, não conseguem ter uma alimentação saudável e equilibrada ou aquecer as suas casas. Estes dados, além de nos envergonharem coletivamente, são o mais cabal exemplo do falhanço das políticas públicas implementadas ao longo dos últimos anos.

Margarida Balseiro Lopes

Pinhal de Leiria: cinco anos depois

Quando no dia 15 de outubro de 2017, um violento incêndio dizimou quase a totalidade de mais de 700 anos de história do Pinhal de Leiria, a primeira reação de muitos foi de choque e perplexidade. Em poucas horas, a memória secular da Mata Nacional de Leiria foi praticamente reduzida a cinzas. Uma das razões para a comoção que se gerou radicava na triste circunstância de se saber, de antemão, que seriam necessárias décadas para voltarmos a ver um esboço semelhante da "catedral verde e sussurrante", como tão bem imortalizou o poeta Afonso Lopes Vieira.