Opinião

#desabafo

No dia em que recebi más notícias num consultório médico, um dos meus anjos na Terra (chamo assim a quem está e estará sempre a meu lado) enviou-me uma gravação do próximo CD de Salvador. Lá voltei eu a ouvir "Amar pelos dois", gravada ao vivo, cantando--a baixinho e acabando a chorar, como acontece sempre. Porque choro? Não sei explicar. Há qualquer coisa de muito especial na letra e na voz de Salvador que abrem as comportas à emoção. Dirão alguns que me leem: e...? Pois. Amanhã é véspera de Natal. Diz-se que é a época de tolerância, partilha, afetos. Por isso, permiti-me hoje falar com o leitor de coisas minhas. Há dois anos comecei a perder gradualmente a capacidade de andar. Desde o último verão a situação agudizou-se, não só na locomoção como na descoberta de outras maleitas na busca de diagnóstico. Sei agora que sofro de obstrução arterial, causada por colesterol e tabaco. Hoje é o quinto dia que deixei de fumar ao cabo de muitos anos. Não está a ser fácil. Mas a vontade de recuperar forças para voltar a passear, a caminhar na areia, a acompanhar os meus anjos na Terra é tão grande que, embora tenha momentos em que mordo os lábios, não vou ceder. É o melhor presente que darei ao meu filho e que daria à minha mãe que partiu faz amanhã um ano. Boas-festas para quem me leu até ao fim. Para os outros também.

* JORNALISTA

ver mais vídeos