Opinião

#gatos

Dois milhões de gatos estão ameaçados de morte na Austrália, que os considera descartáveis por se alimentarem de "pequenos roedores, marsupiais e aves autóctones", estes sim dignos da vida porque "fazem parte da fauna local". A guerra ao gato já começou.

O sorriso do caçador que anda a percorrer as redes sociais cria indignação quando se olha para o seu "troféu": um pequeno felino agarrado pelo rabo. Não vou discutir aqui os argumentos sobre a biodiversidade. Para mim, a seleção natural costuma ter razão nestes casos. E tenho medo de países com governantes que se acham Deus e que acham ter poder para escolher as criaturas com quem querem coabitar. Hoje, são os gatos, amanhã os velhos, depois os "impuros". Há várias revoluções a fazer. Sobretudo contra quem acha que pode decidir sobre os direitos à vida e à morte. Se nada fizermos, estamos feitos.

* JORNALISTA