Opinião

#resgate

Os CTT são o exemplo de uma má privatização. Prestam um péssimo serviço aos cidadãos, têm resultados deficientes, não se coíbem de despedir pessoal e são alvo de críticas da ANACOM, a entidade reguladora, por não cumprirem as suas obrigações. Ontem, a empresa foi tema no Parlamento, sem consenso na geringonça. Ou seja, comunistas, BE e PEV pretendiam que os CTT voltassem ao Estado (que os vendeu, em 2013 e em 2014, arrecadando 900 milhões de euros, estava Passos Coelho no poder), mas o PS e os partidos da Direita entenderam que a solução é criar um grupo informal para avaliar alternativas à reprivatização. O que quer isto dizer? Não se sabe. Aguardemos. Curiosamente, esta semana, voltei a ser vítima da má gestão dos correios. Uma carta para um exame hospitalar foi entregue pelo carteiro às 13 horas no dia em que ele deveria ser feito... às 9.30 horas. Na estação da área da minha residência apontaram-me duas soluções: escrever no livro de reclamações ou para o provedor do cliente, confirmando-se que os giros só se fazem se o volume de cartas se justificar e uma vez por semana. E há pensões de sobrevivência que são entregues com três a cinco dias de atraso. Perante isto, estou ao lado dos parceiros do PS na geringonça: resgate-se a empresa antes que seja tarde.

*JORNALISTA

ver mais vídeos