Opinião

#háracismo

Não caiam na armadilha favorita dos populistas, em especial os da extrema-direita - fazer afirmações que aparentemente são o cerne de uma questão da atualidade, mas que tem apenas o objetivo de desviar a discussão para o vazio intelectual.

É uma forma torpe de criar uma batalha artificial, que vive do arremesso de gritos sem som que os substancie e está automaticamente ganha por quem grita mais alto, pouco importa o que dizem.

Eles bem podem berrar o quanto quiserem que "Portugal não é um país racista", porque é irrelevante para este debate. O essencial é dizer isto: há racismo em Portugal. Faz toda a diferença, porque é absolutamente inegável. Não está sujeito a debate e não dá matéria para imbecilidades nas redes, nem para manifestações dos saudosos do tempo em que as manifestações não eram possíveis.

Mesmo num país que não é racista legal e estruturalmente, o preconceito e a discriminação existem e tem efeitos terríveis. São fenómenos graves e inaceitáveis, que precisam de ser debelados com coragem e em todas as frentes, fazendo uso da melhor e mais efetiva pedagogia política, social e económica. Não entrem nesses debates estéreis, não mordam o anzol. O isco é sempre o mesmo.