Opinião

#ospartidos

Não consigo perceber por que razão se endividam tanto os partidos políticos em Portugal.

Todos os cidadãos e entidades, públicas e privadas, têm certamente o direito de recorrer ao crédito, mas os partidos têm especial responsabilidade. As contas feitas pelo "i", a partir de dados do Tribunal Constitucional, dão uma dívida somada de 47,5 milhões de euros.

É muito dinheiro devido pelos cinco maiores partidos, presume-se que a entidades financeiras. E só o PS deve 25,6 milhões. Porquê, para quê e para que efeito se chegou a um número desta magnitude, está por explicar. ´Nos últimos anos houve algumas notícias a dar conta do descalabro financeiro do PS, PSD, CDS, BE ou PCP. Com mais ou menos esforço ou com uma ou outra variação de escalas, todos têm estado em apuros para chegar ao fim dos exercícios com números positivos.

Ora, ainda que não conste que haja falhas de pagamentos nas amortizações dos montantes em dívida, é estranho que os nossos representantes não se saibam governar sem ter de pedir dinheiro emprestado. E perigoso, especialmente quando é preciso tomar decisões duras sobre a Banca, sabendo que se lhe deve tanto dinheiro.

Não é, apesar de tudo, surpreendente. Aos partidos não falta cara de pau. Gostam muito de ensinar coisas aos portugueses, mas raramente sabem a lição.

*JORNALISTA