Opinião

#averdade

"Não acredites num tipo que te diz "falar a verdade". Não porque seja mentiroso, mas porque ele próprio não a sabe". A frase é de Vergílio Ferreira e há anos que me acompanha, sempre que o assunto é a verdade.

É tema recorrente nesta coluna, a verdade, ou a verdade enquanto alvo de ataque para além das suas naturais flutuações. A verdade não existe, nunca existiu, mas isso não significa que não deva existir quem tenha a missão de a procurar por princípio. É fundamental o exercício dessa função, para que a sociedade possa prosseguir com um mínimo de confiança. A desconfiança é o início do caos e semeá-la é o método de todos os perigosos com ambições de poder.

E a verdade é que nos estamos a acomodar, mais rápida do que paulatinamente, a um "Ersatz" de vivência com confiança, em que tudo é suspeito por princípio, em que a única coisa em que se pode confiar é que não se pode confiar em coisa alguma.

É precisamente disto que vivem os populistas, cujo principal mantra é anunciarem ao Mundo que são os únicos com coragem para falar a verdade. É falso, claro, porque explorar o medo dos outros e a fragilidade das instituições nada tem a ver com coragem, antes é um exercício de covardia, que esconde a ignorância e a sede por domínio sem controlo ou verificação.

*Jornalista

ver mais vídeos