O Jogo ao Vivo

Opinião

#tristehistória

Nos CTT o vidro embaciado era a fronteira para uma entrada no Portugal de hoje. Mascarado, mas sem grande respeito pelas regras (acumulavam-se clientes e ninguém controlava entradas); aparentemente organizado, mas pouco eficiente; pessoal simpático, mas fechado dentro dos seus próprios dramas.

O posto estava cheio demais e ninguém parecia importar-se. Eram mais balcões do que funcionários, disfunção muito portuguesa. Uma senhora entrava e saía, sempre com a máscara pelo pescoço, a gritar que lhe tinham roubado o dinheiro e agora não podia pagar a renda. Percorria o espaço obsessivamente, toda a gente a ficar nervosa. A máscara sempre no pescoço. Era impossível perceber se havia ali alguma desordem mental ou se o drama era real. Tentei comprar envelopes para enviar presentes para o Natal. "Isto está atrasado e só garantimos serviço expresso", fui logo avisado, como se enviar uns livros para Lisboa fosse enviar um sofá para o Afeganistão. Ao meu lado, um estrangeiro tentava esclarecer em voz alta um problema intrincado. A tensão subia, cada vez mais pessoas dentro da loja, o vidro embaciado, a senhora que insistia no roubo. A máscara no pescoço. "Ai o meu dinheiro, a minha renda, o meu Natal". Um resumo deste tempo, triste história neste país.

*Jornalista

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG