365 azul

Luta numa camisa de forças

Luta numa camisa de forças

Se os primeiros minutos definem as intenções das equipas, definem também a reação e instinto de um árbitro.

O clássico de Alvalade começou com as duas equipas de faca na liga, físicas e intensas. E com um árbitro que aos 3 minutos já tinha distribuído tantos outros amarelos, a fazer "bluff" com o jogo e, claramente, a dizer aos 22 jogadores em campo que "este é um critério que não vou cumprir". Se os dois primeiros amarelos se aceitam, já o amarelo a Marcano foi um sinal de Nuno Almeida de que não estava ali para arbitrar, mas para controlar um jogo. Desnecessário e um mau ponto de partida. Mas em abono da verdade, os jogadores em nada facilitaram, conduzindo o jogo para uma luta em céu aberto, repleto de faltas e paragens.

Também por isso, continuar a querer arbitrar um jogo destes para além das quatro linhas, apenas se destina a prolongar polémicas estéreis. O pedido do Sporting à Comissão de Instrutores da Liga para que elabore um auto de flagrante delito a Pepe por uma alegada agressão a Coates na sequência de um lance fortuito entre dois jogadores que tentam disputar a bola, é teatro de revista. É mais um acto disciplinar de desresponsabilização pela intensidade nos duelos que ambos os técnicos pediram aos jogadores, procurando transformar um lance como tantos outros num punho premeditado no queixo.

O F. C. Porto tentou surpreender pela colocação em jogo de Díaz, Uribe e Corona, os três jogadores que mais tardiamente voltaram das respectivas selecções. O Sporting não estreou Sarabia no onze, como se poderia antever pelas palavras de Rúben Amorim. Sérgio Conceição quis ganhar o jogo desde o balneário mas o Sporting nunca tremeu na 1.ª parte, realizando os melhores 45 minutos dos últimos anos em clássicos contra o F. C. Porto.

Em cima

A forma como os treinadores jogaram os "mind games" na antevisão e no 11 inicial. Acrescentaram sal adicional ao clássico.

Em baixo

PUB

Clássico com 40 faltas, 12 amarelos e um vermelho, dificilmente retiram o jogo de um patamar que o aproxima da luta livre numa camisa de forças.

Adepto do F. C. Porto

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG