Opinião

O poder e a verdade

A relação do poder com a verdade define uma democracia. Quando o poder estabelece a verdade, em vez de depender da verdade, não há democracia. A corrosão da verdade é a corrosão da democracia. Todos os regimes totalitários assentam na mentira. Na construção seletiva de uma "realidade" ao serviço de um regime e da sua ideologia, independentemente da verdade. Mas isso tem um custo social enorme que acabará sempre por ser pago, às vezes de forma profundamente trágica. É isso que ensina, de forma brilhante, a nova série da HBO "Chernobyl". Há um momento em que o principal cientista nuclear russo decide expor o custo da mentira do regime, a que ele próprio pertencia: "Quando a verdade ofende, mentimos até não nos lembrarmos mais dela. Mas ela continua lá. Cada mentira que dizemos incorre numa dívida para com a verdade. Mais tarde ou mais cedo essa dívida é paga". Nem sempre essa dívida é uma tragédia nuclear como a de Chernobyl. Mas essa dívida existe sempre e será paga.

Qualquer democracia que desvalorize a verdade vai aumentando a sua dívida. Eis uma das razões pelas quais insisto tanto na importância de termos instituições independentes, que zelem pela verdade mesmo quando isso é desconfortável ao poder. Sem independência, a verdade é sempre contaminada por certos interesses, ainda quando sejam apresentados como o superior interesse nacional.

Quando diminuímos o poder ou credibilidade das autoridades independentes, quando minamos as condições que garantem essa independência, quando partidarizamos o Estado, quando assistimos em silêncio à construção de narrativas alternativas da verdade, estamos a aumentar essa dívida para com a verdade. Pagámos isso com algumas tragédias recentes, mas continuamos a não valorizar as condições que promovam a verdade no nosso espaço público. Em parte, talvez, porque preferimos mesmo ignorar essa verdade quando ela nos ofende ou deprime. Para citar novamente o cientista de Chernobyl é frequente que muitos prefiram ignorar a verdade, mas ela está sempre lá, quer a vejamos ou não, escolhamos ou não. "A verdade não se importa com o queremos ou desejamos. Não se importa com os nossos governos, ideologias, religiões. Ficará à espera para sempre". O custo da mentira acabará por ser pago. E, infelizmente, por todos, não apenas aqueles que mentem. As democracias mais bem-sucedidas são aquelas que, tendo consciência disso, se constroem partindo da preocupação com a verdade. Entre nós essa preocupação é frequentemente considerada uma ingenuidade de quem não percebe o jogo político...

* PROFESSOR UNIVERSITÁRIO