O Jogo ao Vivo

Imagens

Últimas

Nuno Botelho

Douro a precisar de gente e de ajuda

Está a ser um ano difícil para os produtores de vinho do Porto e Douro. Na mesma altura em que comemora o 20º aniversário da elevação a Património Mundial da Humanidade, a região foi fustigada com uma das secas mais extremas e prolongadas dos últimos 90 anos - a segunda maior, de acordo com os dados oficiais. Estima-se que o fenómeno meteorológico venha a provocar um decréscimo de 20% no volume de produção, mas o que resulta de mais preocupante é a ameaça séria que as alterações climáticas representam para o equilíbrio do território e para a sustentabilidade do modelo de negócio.

Nuno Botelho

Porto inseguro, nem pensar

Os acontecimentos que, no mês de julho, deixaram em sobressalto a cidade do Porto em matéria de segurança pública constituem mais um flagrante exemplo de como o Estado falha no cumprimento das suas responsabilidades para com o cidadão. Na linha dos serviços de urgência obstétrica que fecham, dos comboios sem ar condicionado ou dos aeroportos em estado caótico, foi possível constatar uma esquadra de Polícia encerrada em pleno fim de semana de verão. Seria péssimo em qualquer circunstância, mas acontecer no Centro Histórico de uma das cidades mais visitadas da Europa, é um verdadeiro certificado de incompetência.

Nuno Botelho

Abrunhosa é Porto e liberdade

Figura incontornável da cultura pop nacional nas últimas décadas, Pedro Abrunhosa distinguiu-se também como um agitador de consciências e um militante de causas, ultrapassando claramente as fronteiras da música na sua intervenção como figura pública. Foi assim que, no passado recente, cantou por uma geração de jovens qualificados que se viu forçada a sair do país. Ou ainda, nos idos anos 90, liderou com coragem física o movimento que permitiu resgatar o Coliseu do Porto para a cidade.

Nuno Botelho

Turismo quase normal

Os números mais recentes da conta satélite do turismo do INE confirmam os bons indicadores que, há algumas semanas, apontei neste espaço de opinião. Em maio deste ano, apesar do número de dormidas ser 0,7% inferior ao período homólogo de 2019, as receitas globais foram superiores e confirmaram a trajetória ascendente que já vinha do mês anterior. O próprio Banco de Portugal estima que o volume de negócios ultrapasse os valores registados na pré-pandemia, já em 2022.

Nuno Botelho

Não há mais tempo a perder

A rábula do novo aeroporto de Lisboa teve mais um capítulo, na última semana, com o famigerado despacho do ministro Pedro Nuno Santos, seguido da revogação e ralhete público de António Costa. A trapalhada política - já por demais comentada no espaço público - só serviu para, uma vez mais e à boa maneira portuguesa, discutir o acessório e ignorar o que é essencial. Neste caso, o essencial é mesmo avançar com o projeto de uma nova infraestrutura aeroportuária, por todos reconhecida como uma necessidade e que está há décadas por concretizar.

Nuno Botelho

Pedir muito não adianta

Ficamos esta semana a saber que, contrariamente ao dito popular, nem todo o trabalho é digno. A nova "agenda" do Governo postula, em pleno século XXI, que a dignidade e o respeito nas relações laborais se obtêm por decreto, desconfiando dos bons intentos de empresários e capitalistas. A infelicidade na designação da nova reforma laboral só é superada, em primeiro lugar, pela estrondosa falta de sentido de oportunidade da mesma. E, em segundo, pelo retrocesso que representa num mercado de trabalho pouco dinâmico como o português.

Nuno Botelho

Pau que nasceu torto

A confusão generalizada que se abateu sobre o processo de descentralização exemplifica bem a ineficácia desta iniciativa política e as bases pouco sólidas em que assentou desde início. Já no pós-autárquicas 2017, muitos municípios alertavam para o perigo de uma descentralização de competências que apenas transferia encargos para a esfera das autarquias, mas não acomodava o necessário financiamento, nem conferia a autonomia de decisão sobre as funções delegadas.