Opinião

Um homem único 

Paulo Nunes de Almeida faleceu na semana passada. A morte aos 60 anos, por muito esperada que seja, não deixa de provocar profundo choque e revolta. Do líder da AEP, fica um imenso exemplo de dedicação ao país e ao Norte. Do homem, uma vida de seriedade e de caráter.

A recuperação da AIP/AEP de uma situação francamente grave. A extraordinária afirmação do "cluster" da moda e dos criadores portugueses, também através do Portugal Fashion. A reconversão do setor do têxtil e do vestuário. A correção de princípios no mundo das empresas e dos negócios. São estas, a meu ver, as grandes marcas que ficam da vida pública de Paulo Nunes de Almeida. Poucos se podem orgulhar de terem feito tanto e tão bem. Sempre cultivou a sobriedade, mesmo quando foi reconhecido por diversas e relevantes entidades, nomeadamente pelo presidente da República. A última homenagem ocorreu precisamente no Palácio da Bolsa, em abril, momento em que lhe atribuímos a Medalha de Ouro da Associação Comercial do Porto, de cuja direção foi também membro.

Tive a felicidade de partilhar com Paulo Nunes de Almeida uma série de projetos e desafios que o Porto e o Norte conheceram nos últimos anos. O afirmar do Norte exportador e motor económico do país, bem como o combate às assimetrias e a consolidação do turismo. Trabalhando em rede, concertando posições e estratégias, trabalhámos tantas e tantas vezes juntos. Numa época em que tal atitude é rara, o Paulo Nunes de Almeida sempre evitou os holofotes e dispensou excessos de protagonismo. Para ele, era mais importante fazer do que aparecer.

Naquela que foi uma das últimas intervenções públicas que lhe ouvi, lançou-nos o desafio de prosseguir a luta pela regionalização administrativa e política do país, um modelo e uma causa pelos quais nunca se cansou de se bater. O Paulo nunca vestia o fato de homenageado. Antes entendia ter um dever de cidadania, continuando, fundamentada e fervorosamente, a lutar por um país melhor. Pelo que me toca, a causa do Paulo Nunes de Almeida perdurará para sempre.

Empresário e Presidente da Associação Comercial do Porto