Opinião

Com "likes" te engano

Um local que permite seguir o mundo, descobrir os velhos amigos da infância ou da escola secundária e até aquele namorado do qual nunca mais ouvimos falar.

O Facebook é isto, e é também o espaço virtual que nos permite dar asas àquele instinto muito humano: a coscuvilhice. Serve para esta finalidade? E se serve, qual é o problema? Sim, o Facebook terá essa função para uma enorme franja dos utilizadores. Praticamente inofensivo, portanto.

Mas esta rede social e outras são muito mais do que o palco da coscuvilhice. Surgem como espaços onde tudo se pode dizer, sem qualquer necessidade de verificação e, nesta medida, tornam-se canais difusores de propaganda. Em muitos casos, centros difusores de mentiras (acintosas, ou não), sem qualquer consequência para os emissores.

Perante várias tentativas de responsabilizar os detentores dos canais, o fundador o Facebook vem dizer que a empresa não deverá verificar a veracidade do conteúdos das mensagens dos políticos. E Zuckerberg usa um argumento praticamente inquestionável: afirma estar a zelar pela liberdade de expressão.

Esse é o nó por desatar. Que mecanismo será preciso encontrar para uma melhor utilização deste meio? Não faltam exemplos de como as redes sociais têm servido nas campanhas eleitorais como instrumento de desinformação, de lançamento de notícias falsas com objetivos concretos. Foram, por exemplo, um dos principais recursos no referendo do Reino Unido a favor do Brexit; estiveram activamente e em força na eleição de Trump e Bolsonaro. Transformam boatos em verdade, instalam o medo e a ameaça do caos e criam personagens, apresentadas como verdadeiros salvadores. São canais que operam à escala planetária, onde tudo é permitido, ou quase tudo (seios desnudos são imediatamente banidos), sem qualquer verificação. Ontem Hilary Clinton defendeu que Zuckerberg deve ser penalizado pelo mal que está a fazer à democracia. Mas nem Clinton consegue apresentar uma solução plausível. Quem terá coragem de defender a censura?

*Editora-executiva-adjunta

Outras Notícias