Opinião

Condenados à pena de vida

Condenados à pena de vida

Quando, há dias, perguntaram a Donald Trump o que sentira ao ver os corpos de pai e filha afogados e abraçados nas águas do rio Grande, na fronteira do México com os Estados Unidos da América, o presidente-refulgente retorquiu, primeiro, uma banalidade.

Algo que pudesse indiciar haver nele um pingo de decência e humanidade face à nova imagem-bandeira do drama migratório mundial. Mas rapidamente recentrou a intervenção no que para ele é essencial.

"Aquela era uma viagem muito perigosa. E, a propósito, houve muitas outras coisas que se passaram. Mulheres a serem violadas, mulheres a serem violadas em números em que ninguém acredita". Trump preferiu o medo à compaixão. Algemas no lugar das lágrimas.

Quando, ontem, reagia à detenção de Carola Rackete, capitã do navio de ajuda humanitária Sea Watch 3 que aportou em Lampedusa com 40 migrantes exaustos recolhidos nas águas do Mediterrâneo, Matteo Salvini, ministro italiano do Interior, exultou. Não com a missão de socorro àquelas quatro dezenas de almas, mas com o "ato de guerra" a que tinha posto cobro: "Comandante fora da lei detida. Barco pirata apreendido. Multa máxima para ONG estrangeira. Todos os imigrantes distribuídos para outros países europeus. MISSÃO CUMPRIDA". Assim mesmo, em letras garrafais. A missão cumprida é a que envergonha os parceiros europeus, Portugal incluído, que receberam os desafortunados que Itália excomungou. De novo, algemas no lugar da compaixão.

Esta nova normalidade retorcida também atingiu o português Miguel Duarte, condenado na mesmíssima Itália por ajudar a salvar a vida de milhares de imigrantes ilegais. Enfrenta uma pena de até 20 anos de cadeia, num processo que pode arrastar-se durante anos e consumir, como o próprio lamenta, "esforços e recursos que podiam estar a ser usados em resgate marítimo".

A nova normalidade é, afinal, uma deformidade civilizacional dos estados que condenam aqueles que salvam os desamparados, transformando uma pena de morte numa pena de vida.

*DIRETOR-ADJUNTO