Opinião

#loboraivoso

Donald Trump vai submeter-se a um rigoroso exame médico em janeiro, depois de o mundo ter descoberto que arrastara a fala durante um discurso. Não o suficiente para se calar de uma vez por todas, mas o necessário para aquecer o coração de todos quantos continuam a acreditar que o presidente norte-americano tem um défice de inteligência agudo. E que isso pode estar relacionado com uma condição médica urgente. Brincar aos GI Joe com o Kim da Coreia do Norte é um bocejo diplomático. Donald tinha de incendiar o Médio Oriente, ao declarar Jerusalém como capital de Israel. Podemos procurar racionalidade, não vamos encontrar nenhum neurónio. A imagem que me vem à cabeça é a de um lunático em cima de um overcraft a grande velocidade, atravessando um delta infestado de jacarés, garrafa de uísque numa mão, revólver na outra. Um gole, um tiro. E os cabelos espraiados ao vento, num desalinho trágico-cómico. Oh, yeah! Eu sei que o pior (melhor) que se lhe pode fazer é transformá-lo num monstro da Tasmânia, mas não consigo ver mais nada que não seja um boneco trôpego, salivante e perigoso. Muito perigoso. Um lobo com raiva comandando uma matilha de loucos.

JORNALISTA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG