Opinião

#noginásio

Só quem nunca frequentou o balneário masculino de um ginásio é que pode dizer que as mulheres são mais vaidosas do que os homens. Calma, nunca entrei nos aposentos das senhoras, trata-se apenas de uma extrapolação. Bem, mas indo ao ponto: o lugar mais importante do ginásio, para os homens, não é a passadeira atrás da máquina de step usada por jovens curvilíneas para enrijecer os glúteos; não é a sala de pilates onde os corpos ganham uma elasticidade encantatória; não é, sequer, o bar logo à entrada onde entabulam conversa com mulheres fogosas e divorciadas. O altar masculino dos ginásios é aquele pedacinho no balneário que fica de frente para o espelho. Já o comprovei em mais do que um estabelecimento. Aliás, é mais difícil encontrar um cacifo livre nessas áreas do que um estacionamento para o carro aos domingos no Norteshopping. Quase parece que a sã competitividade na arena dos halteres se estende para os bastidores. E é curioso verificar como os atletas em início de carreira ou aqueles manifestamente rendidos aos prazeres da gula se afastam dessa exposição. Todos conhecem o código: os badochas ficam com os cacifos do canto. Em frente ao espelho só são permitidos Adónis bronzeados e impecavelmente penteados. Que encham o peito e contraiam os músculos, de frente e de perfil, enquanto agitam o frasco com o concentrado de proteínas e cantarolam, baixinho, "I"m sexy and I know it".

* JORNALISTA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG