Brasão abençoado

A casa do F. C. Porto de Lisboa

A casa do F. C. Porto de Lisboa

A força do F. C. Porto vem da cidade onde nasceu e da região que representa. O seu conjunto de valores, aquela que é, no fundo, a sua ideologia vem desta origem. Se estivéssemos a falar de religião, diria que somos mais judeus do que cristãos, no sentido de que não pode ser portista quem quer, mas quem pode e não somos claramente adeptos do proselitismo.

Nada disto impede que um portista tenha nascido ou viva em qualquer canto do Mundo. O amor pelo clube não depende do sítio onde se vive ou nasceu. Mas no coração de um portista está sempre a cidade do Porto e a Região Norte de Portugal, seja ele um cidadão da Polinésia ou um alfacinha de Alfama.

Tudo isto para homenagear a Casa do F. C. Porto em Lisboa a quem foi atribuído mais do que justamente um Dragão de Ouro. São bravos os sócios e adeptos do F. C. Porto de Lisboa. Gente que ama o seu clube como ninguém e que não receia mostrá-lo numa cidade maioritariamente adepta de outros clubes. Muitos deles fazem 600 quilómetros de 15 em 15 dias e nunca, mas nunca mesmo, ouvi um único queixar-se da distância ou dos possíveis sacrifícios. Para eles não há prazer como estar em casa durante hora e meia para sentir o seu coração portista a bater ao lado dos seus irmãos.

O portista que faz a sua vida em Lisboa tem uma característica interessante: adora quando é olhado de lado mais amiúde ou tem de ouvir mais "bocas" ou até sofrer mais uns insultozitos. É bom sinal, quer dizer que o brasão abençoado, o seu grande amor vence. Vivam todos os portistas, mas neste dia, um viva especial para os portistas de Lisboa.

A subir

A cerimónia de entrega dos Dragões de Ouro, feita em moldes excecionais devido à pandemia, foi mais um momento de demonstração de paixão pelo clube e de criação de memórias. A vitalidade de uma instituição depende destes acontecimentos.

A descer

O líder do Governo não vê qualquer problema em pertencer à comissão de honra de um candidato à presidência de um clube de futebol, mas considera o futebol uma atividade frequentada por marginais incapazes de seguir as indicações da DGS dentro de um estádio. Vá-se lá perceber isto.

*Adepto do F. C. Porto

Outras Notícias