O Jogo ao Vivo

BANCADA JN Brasão abençoado

Narrativas

Ainda não percebi se são as constantes idas das autoridades policiais e judiciais às instalações benfiquistas que estão a disfarçar os Pedrinhos e Weigls, se é o falhanço rotundo do maior investimento de todos os tempos feito em Portugal numa equipa de futebol que distrai as pessoas da quantidade sem fim de indícios de, digamos, irregularidades. Mas percebi, e não é de agora, que há uma capacidade enorme de disfarçar tudo o que mau acontece ao nosso principal adversário.

Uma não ida à Liga dos Campeões do F. C. Porto é pretexto para milhares de horas de análises em que se conclui que grassa a incompetência e o clube está prestes a fechar as portas, a mesma situação, depois do dito investimento, no clube da Luz é só futebol. Uma intrigalhada sobre um qualquer assunto de lana caprina em que o F. C. Porto seja envolvido é visto como prova irrefutável da nossa vilania; as dezenas de investigações, acusações, testemunhos contra o Benfica nunca são responsabilidade do clube mas do "ambiente do futebol português".

Bem sei que nada disto é novo para um portista ou para um espectador imparcial, mas é importante lembrar. E é porque apesar de ser muito difícil ir contra as narrativas instaladas, só teremos um tratamento igual quando estas não vigorarem.

O facto é que estas criam ambientes que visam, e conseguem, condicionar os mais variados decisores. O político, o juiz, o árbitro, por exemplo, hesitam porque vivem num ambiente criado por esse discurso que fez de um clube bom e do outro mau, pensam duas vezes porque serão seis milhões que vão dececionar.

No futebol o que conta é a bola dentro da baliza, mas demasiadas vezes não é só o pé a chutar a bola.

Nós portistas guardamos de Otamendi a imagem de um lutador e de um homem que deu sempre tudo pelas nossas cores, algumas vezes em circunstâncias muito difíceis. Custa ver alguém por quem temos tanto carinho ser vilipendiado e maltratado. Força, Otamendi.

PUB

A renovação do Pepe por mais dois anos é uma excelente notícia. Ainda é, de longe, o melhor central português em atividade e quer-me cá parecer que ainda o será quando chegar aos 40 anos. Se isso tudo não chegasse, é bom sentir que é tão portista como qualquer um de nós.

*Adepto do F. C. Porto

Outras Notícias