O Jogo ao Vivo

Bancada JN

O primeiro milho

Isto é como acaba, não é como começa. Claro que para alguns acabou mesmo antes de ter começado, mas não há nada como umas parangonas a anunciar o melhor início de campeonato de todos os tempos para esquecer uma tragédia grega.

Apesar das duas más exibições e piores resultados, a minha confiança em que vamos ter grandes alegrias (tradução: ganhar o campeonato) não foi minimamente abalada. E não, não é aquela fé cega que tenho no brasão abençoado e que me leva, não poucas vezes, a comportamentos irracionais ou otimismos delirantes. As equipas têm altos e baixos, ciclos de forma, azares e sortes ao longo de uma temporada. Aliás, nos últimos anos os nossos inícios de época não têm sido particularmente brilhantes - basta lembrar o segundo jogo com o Krasnodar e o Gil Vicente, no ano passado - e o balanço é largamente positivo.

Claro que naqueles minutos depois dos desaires parece que o mundo desabou e pomos tudo em causa, mas basta a cabeça voltar a estar no lugar para percebermos que não há razão para nenhum tipo de alarme. Temos dos melhores plantéis dos últimos anos, com soluções ricas e variadas para todas as posições, uma estrutura ligada ao futebol reforçada e, claro, um excelente treinador.

É, sobretudo, por causa do Sérgio Conceição que estou confiante. Depois de três anos, conhece o clube como ninguém, trabalha com a maioria esmagadora deste plantel também desde essa altura e viu chegar ao grupo de trabalho jogadores de muita qualidade. Se com menos qualidade no plantel foi capaz de fazer o que fez, imagine-se o que fará com um conjunto de jogadores bem melhor do que já teve?

Temos todas as razões para estar confiantes.

Zaidu nunca será Alex Teles. As características de cada um são completamente diferentes e estão em pontos distantes na carreira. O nigeriano ainda tem falhas não coadunáveis com um clube grande (a defender, claro), mas aposto dobrado contra singelo que temos ali uma futura estrela.

PUB

Arranjar inimigos externos para disfarçar problemas internos é uma tática antiga. Ver o Sporting a arranjar desculpas esfarrapadas para o facto de já não ser um grande no futebol também já tem barbas brancas. E verdade seja dita, ver Frederico Varandas a fazer figuras tristes também não é novidade.

*Adepto do F. C. Porto

Outras Notícias