Opinião

Viva Portugal

Comemoramos na próxima quinta-feira o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, pretexto de reflexão sobre os valores da Portugalidade e de mobilização para darmos contributo para que o Estado da Nação seja cada vez melhor, muito melhor.

No que respeita a Camões, continua como uma marca histórica e de cultura inigualável, apenas com a necessidade de se aprofundar o seu conhecimento e utilização pelos cidadãos mais jovens, também como instrumento de aprofundamento da História de Portugal que devemos conhecer na sua totalidade, respeitar na sua globalidade e enaltecer nos seus feitos mais relevantes, como foi o tempo dos Descobrimentos.

Abordar hoje o tema das Comunidades Portuguesas é um caminho difícil e fora de moda, com os sucessivos governos de Portugal a desinvestirem na relação com essas forças importantes da Portugalidade que existem nos quatro cantos do Mundo, sendo que na presente legislatura e com o atual Governo esta matéria está completamente secundarizada na gestão política e na gestão do Estado.

De facto com mais ou menos festa, com maior ou menor profundidade, a política portuguesa das relações com as comunidades de emigrantes não tem expressão relevante, e o tema saiu completamente das preocupações de todos e das apostas de quem governa.

O que é um erro que devemos corrigir.

Nos quatro cantos do Mundo os portugueses estão presentes e o investimento de Portugal em todo o Mundo utilizando esses "embaixadores", ao nível da Cultura, da Política, da Economia, do desenvolvimento social desses portugueses nos territórios onde vivem e por essa via de Portugal, é um investimento de retorno garantido, com o proveito adicional de não perdermos as novas gerações na sua ligação a Portugal.

Não haverá muitos países no Mundo que tenham uma rede tão extensa de "embaixadores" como Portugal, sendo um imperativo nacional que a nossa política externa volte a apostar nesta frente, dinamizando-a de forma social e politicamente ativa e útil.

PUB

No Dia de Portugal de 2021 que nos possamos rever e unir mais no verde e vermelho da nossa bandeira, que possamos dar mais de cada um de nós e como comunidade ao nosso Portugal, nas suas múltiplas facetas, determinados em materializar a opção de termos um país mais de todos, mais próspero, justo, bem integrado na Europa e aberto ao Mundo, e sempre dos portugueses em plena condição.

Viva PORTUGAL.

Presidente da Câmara de Aveiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG