O Jogo ao Vivo

Bancada JN

O (meu) dia seguinte

1. Dia seguinte (Apocalypse Now)
Se um dia seguinte é - sempre - um dia seguinte (como o será sempre o dia anterior a), este foi o meu dia seguinte do Benfica!

E, mesmo sabendo que tudo passa, que a vida é feita de percursos, embora com momentos (e momentos como este, eu - que já perdi tantas vezes e ganhei outras tantas - os dispensasse), não pude evitar o ter acordado com a memória das imagens de "Apocalypse Now", de Francis Ford Coppola, com o "The End", dos "The Doors"!

2. MOMENTOS OU PERCURSOS (The End)

Nesta minha caminhada, houve momentos que pareceram um deserto, outros uma eternidade e, outros ainda, uma floresta quase sem saída!

Hoje, tal como cantava Jim Morrison, relembrei a letra desse "The End"

(This is the end, beautiful friend This is the end, my only friend

The end of our elaborate plans

PUB

The end of everything that stands)!

E nessa contradição busquei, de novo, a diferença entre percurso e momento, entre consciência e responsabilidade, entre ser e estar!

3. SOLIDÃO E RAZÃO (Francisco Sá Carneiro)

Por isso voltei a recordar a velha frase de Francisco Sá Carneiro, com a qual nunca me dei mal na vida!

"Nunca estive tão sozinho, mas nunca tive tanta certeza de que tenho tanta razão!!!"

Apesar do seu enquadramento histórico, tem-me servido para - em determinados momentos - assumir uma parte do caminho contra a multidão (dizem que segui-la é a melhor maneira de chegar a lado... nenhum)!

Porque nunca tive medo de ficar sozinho, só com a razão (embora, neste caso, não seja o "e como isso lhes dói", mas "e como isso me custa").

4. CAMINHOS (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Não sei - talvez até não seja o caso - mas voltei a lembrar-me de outra citação (esta de Sophia), que permite, afinal, sonhar com tudo de novo, mesmo sendo tudo diferente!!!

"Mas espera-me.
Pois, por mais longos que sejam os caminhos, eu regresso!"

5. DEDICAÇÃO E FUTURO (Cosme Damião)

E se nada tem um fim, nada será mais apropriado, para terminar, que citar a "velha" mas tão "simbólica" declaração de Cosme Damião, aquando da primeira crise do Benfica, quando o fim poderia estar já ali e um percurso de anos (como o foi até hoje) parecia condenado a ser um momento que se esgotaria já a seguir.

"O (...) tem dinheiro. Nós temos dedicação. No imediato o dinheiro vence a dedicação. No futuro, a dedicação goleia o dinheiro."

Nunca - como hoje - essa declaração de 1914 foi tão atual!

O Benfica poderá não ter sido nosso!

Mas é nosso!

E só deixará de o ser - como estou convencido alguns quererem - se deixarmos!

A subir

A participação dos sócios nas eleições do Benfica

A descer

1,64%

*Adepto do Benfica

Outras Notícias