Opinião

Positivo, apesar de saber a pouco

Positivo, apesar de saber a pouco

Não tendo espaço para uma análise aprofundada sobre o resultado das presidenciais, não posso deixar de aqui trazer algumas notas de reflexão sobre os resultados de João Ferreira, o candidato que apoiei. Apesar da "derrota" que alguns lhe atribuem, a verdade é que, analisando friamente os resultados, conseguiu inverter um ciclo de declínio.

De facto, foi nas presidenciais de 2016 que se iniciou um ciclo em que, comparando com todas as eleições homólogas (presidenciais, autárquicas, europeias e legislativas) do ciclo anterior (2011-2015), as candidaturas apoiadas ou protagonizadas pela CDU tiveram resultados piores. No início deste novo ciclo, há um reforço percentual e a passagem de 5.º para 4.º lugar na preferência dos portugueses.

Não obstante este aspeto objetivo positivo, sente-se nos comunistas um sentimento de insatisfação. Que está associado ao entusiasmo que a candidatura de João Ferreira provocou, dado que mostrou ser, e isso é reconhecido transversalmente, o mais bem preparado para as funções e teve um excelente comportamento nos debates eleitorais.

Para além de ter conseguido, o que foi um dado novo pelo menos pela amplitude, apoios em setores fora do círculo partidário em que se insere. Daí o sentimento de "poucochinho" face ao entusiasmo e às expectativas que criou.

Externamente, tentam atribuir-lhe a derrota devido ao facto de "o Alentejo ter deixado de ser comunista". "Soundbite" lançado por Rio, que é perito, quando a coisa não lhe agrada, a tentar criar manobras de diversão. E que teve, apenas, um objetivo: ficando claro que uma parte importante do eleitorado do PSD votou Ventura, procurou dizer que não, que o eleitorado de Ventura era constituído por comunistas desiludidos.

A realidade mostra que não. No Alentejo, João Ferreira, tal como acontece desde pelo menos 2001 aos candidatos presidenciais apoiados pelo PCP, ficou em terceiro lugar e manteve, no essencial, a percentagem eleitoral.

Por isso, soube a pouco, mas há sinais positivos que importa valorizar.

PUB

*Engenheiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG