Opinião

A cidade praça a praça

A cidade praça a praça

Em tempo eleitoral, meditemos sobre os espaços públicos nas cidades e, em particular, as suas praças como pontos de centralidade local, de convívio e negócio. Ver a área urbana apenas à escala macro, desleixando a micro-gestão que afecta directamente os cidadãos na sua vivência diária, faz com que o território fique "sem dono" - é de todos mas não é de ninguém.

A cidade não é saudável se não for ocupada e bem tratada. Uma zona deserta nalgumas horas do dia é inevitavelmente tomada de assalto pela insegurança, o que vai causar ainda mais abandono num ciclo vicioso onde, sem grande resultado, se vão enterrando fortunas em limpeza e manutenção. É indispensável ter a atitude que já se provou resultar no metro do Porto: vigilância atenta e permanente, reparação imediata de danos - só assim se consegue manter uma qualidade digna no serviço ao cidadão, evitando uma degradação incontrolável.

Tratemos as praças segundo os mesmos princípios. Criem-se pequenas equipas polivalentes, em turnos de 8 horas com duas ou três pessoas, 24 horas por dia e todos os dias do ano, que assumam uma praça e algumas ruas adjacentes como "suas", sendo avaliadas pelos resultados que obtêm. Teriam a missão mista de vigilância, jardinagem, limpeza, reparação de mobiliário urbano e, dependendo das qualificações concretas das pessoas que a constituam, até de ajuda a idosos lá residentes em coordenação com a Segurança Social e as IPSS. Entregue-se a sua gestão e os meios correspondentes às juntas de freguesia, que passariam a combinar a actuação com os serviços da Câmara e a Polícia.

E dinheiro? Façam-se bem as contas, incluindo todos (mas mesmo todos) os custos. Quanto se gasta actualmente em equipamento destruído pouco tempo depois de ser instalado? Quanto em manutenção para disfarçar actos de vandalismo? Quanto custa a fuga de habitantes e empresas? Se somos pobres, é também porque não sabemos evitar o desperdício. Quanto vale, afinal, reabilitar uma cidade em comparação com um TGV, um aeroporto ou uma auto-estrada?

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG