Opinião

#Trump

A ingenuidade é uma característica nobre, mas ser ingénuo em demasia pode trazer dissabores a qualquer um, e de dimensão extrema, como fazer uma pessoa atribuir credibilidade a uma declaração, uma ideia (eu sei que estou a exagerar), ou uma tropelia infantil de um trolaró como Donald Trump. As últimas conversas conhecidas do presidente dos Estados Unidos podiam ter o condão de nos deixar a todos com medo de levarmos com o Mundo em cima. Seria um final infeliz para uma esfera tão bonita como a Terra, esse de ser engolida pelo apocalipse resultante da mãe de todas as guerras. Mas hoje é sábado, dia de sermos menos ingénuos e mais otimistas, por isso, vamos pensar que tudo não passa de conversa fiada. Podia ser outro tipo de conversa, pois há muitas e para todos os gostos. Desde logo, as conversas de café, que também não faziam mal aos ouvintes de Donald, já que se há coisa que ele provoca sempre que fala é sono. Uma conversa de sofá, por outro lado, resultaria num dois-em-um interessante, pois se quem o ouve pode tirar uma soneca confortável, a Trump também lhe dava jeito, sobretudo se fosse o sofá no psicólogo. Conversas de pé de orelha com alguém que se passeia com aquele cabelo é que não. E é aqui que o líder norte-americano falha escandalosamente. Mais do que as patetices que teima em dizer, creio que nunca alguém levará a sério um tipo com aquele penteado.

*JORNALISTA

ver mais vídeos