Opinião

#matilha_covid

Embora a ideia do recolher obrigatório seja ainda um embrião na cabeça dos grandes pensadores da política portuguesa - como quase todas as tendências da moda, também esta chega de França -, antes que alguém se esqueça, quero já sublinhar que os animais não podem ser esquecidos neste combate global à covid-19.

Além de garantir que lagartixas e jacarés estão selados com as famílias em covinhas e lagos por volta das 21 horas, é urgente assegurar que os cães se recolhem com o cair da noite. Sei que o leitor está a questionar-se sobre a inexistência de ligação clínica entre os animais e o novo coronavírus, mas atendendo a alguns relatos patéticos, mais vale prevenir do que remediar. Mais importante ainda, costumo chegar bastante tarde a casa - a melhor profissão do Mundo tem destas coisas - e não me parece que o meu país queira impedir-me de trabalhar, permitindo-me a circulação devidamente documentado, pelo que o recolher obrigatório dos cães acaba por emergir como uma bênção para mim, que já fui duas vezes obrigado a fintar uma matilha que circula alegremente pelas ruas da Senhora da Hora e Guifões, em Matosinhos.

Jornalista

Outras Notícias