Opinião

#micro-subsídio

Avisado para o encerramento das fronteiras concelhias durante o fim de semana, fiz-me à estrada para comprar daquele peixe que só se encontra nas Caxinas.

Para não ficarmos pelas meias-verdades, acrescento que estava em pulgas para testemunhar a animação junto da comunidade piscatória de Vila de Conde, uma vez que tinha passado antes pela lota de Matosinhos e não acontecia nada de especial. Estranhei. Afinal, tinha lido que em breve seria conhecida a compensação que a União Europeia faria chegar aos pescadores portugueses no âmbito do Brexit. Se os barcos deixam de poder fazer a faina em Inglaterra, alguns trocos haviam de nos calhar. Enganei-me. Tudo sereno, como Matosinhos. Só mais tarde percebi que, afinal, não havia razões para comemorar. Segundo o "Expresso", a compensação são três euros. Sim, leu bem, três moedinhas de um euro. Milhões para França, Espanha, Bélgica e mais uns quantos, três euros para Portugal. Até estou com pena do contabilista do Governo que vai dividir a quantia pelos pescadores. Do mal o menos, sempre ficamos à beira do Guinness como país que recebeu o mais pequeno subsídio de sempre da União Europeia.

*Jornalista

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG