Monarquia

Catharina-Amalia: A futura rainha que já marca a História

Sara Oliveira

Pretendente ao trono gostaria de ter sido cantora ou cavaleira

Foto Direitos Reservados

Aos 18 anos, herdeira ao trono neerlandês assume protagonismo. Imprensa internacional aponta-lhe um namorado alemão, numa altura em que já é possível casamentos gays na família real.

Catharina-Amalia Beatriz Carmen Vitória já deixou perceber que não vai em contos de fadas e princesas, e a prova é que recusou a mesada milionária a que teria direito até chegar ao trono. A 7 de dezembro, a primogénita do rei Guilherme Alexandre dos Países Baixos e da rainha consorte Máxima celebrou a maioridade, inspirando uma biografia autorizada.

Na obra homónima, Amalia assumiu ainda não estar preparada para ser rainha, se bem que já se sente comprometida em servir o país. Entrevistada pela jornalista Claudia de Breij, a princesa disse que, em caso de morte ou renúncia do pai, agora com 54 anos, pediria à mãe, a argentina Máxima, de quem herdou o sangue latino, para a substituir temporariamente. Além disso, aconselhou o progenitor "a alimentar-se saudavelmente e a exercitar-se muito".

O livro reúne episódios relatados pela princesa herdeira, além de fotografias do seu arquivo. Nele, fica-se a saber que, caso não tivesse que ser rainha, teria apostado na carreira de cantora ou de cavaleira. No verão passado, após concluir o ensino secundário, Catharina-Amalia tirou um ano sabático antes de seguir para a universidade, "para aprender num lugar que não seja a escola". Ainda na biografia, afirma que já trabalhou em part-time num café à beira-mar, onde o proprietário, a brincar, a tratava como a "rainha do cocktail".

Sem subestimar o legado ou fugir ao destino na Casa de Orange, os reis Guilherme e Máxima sempre tentaram que Amalia e as irmãs mais novas tivessem uma vida o mais normal possível. "Comete erros, mas o mais longe possível dos holofotes. Eu fiz isso, muito. Festivais, festas, tudo isso e muito mais", disse o monarca à sucessora. Daí, até há pouco tempo, ela surgir em público em eventos e fotografias oficiais.

De acordo com a imprensa internacional, Catharina-Amalia namora com um jovem aristocrata alemão, Isebrand K, de 19 anos, com quem foi vista a passear em Nova Iorque. Os dois ter-se-ão conhecido numa festa nos Países Baixos, onde o jovem estudou. De resto, a futura rainha é livre para amar quem quiser, até porque foi decidido, em outubro de 2021, que é possível o casamento entre pessoas do mesmo sexo na família real holandesa. Ironicamente, de fora da lista de pretendentes está o príncipe Gabriel da Bélgica, de quem Amalia até é muito próxima - tudo por causa da Carta Magna, uma lei com 200 anos lavrada para evitar que o reino belga voltasse ao jugo holandês, do qual se libertou em 1830. Neste caso, só uma emenda constitucional poderá alterar a História, caso seja essa a vontade dos protagonistas.