Entrevista

"Eu gosto de Hitler". Kanye West intensifica retórica antissemita

JN / AFP

Kanye West tem surgido nos jornais devido aos seus comentário antissemitas

Foto Afp

'O rapper norte-americano Kanye West declarou, esta quinta-feira, o seu "amor" pelos nazis e a sua admiração por Adolf Hitler durante uma transmissão ao vivo de várias horas com o teórico da conspiração Alex Jones.

"Eu gosto de Hitler", disse o artista, que se dá pelo nome de Ye, numa longa entrevista da qual também participou o supremacista branco Nick Fuentes e transmitida pelo portal "infowars.com". "Amo os judeus, mas também amo os nazis. Não gosto de ver a palavra 'maldade' ao lado de nazis", insistiu.

O artista, que planeia candidatar-se à Presidência dos Estados Unidos em 2024, surge no vídeo com o rosto coberto por uma máscara preta, um casaco de couro e luvas pretas.

"Eu vejo coisas boas sobre Hitler também", disse Ye, que há meses tem aparecido nos jornais por causa dos seus comentários antissemitas. "Amo toda a gente. Cada ser humano tem algo valioso (...), especialmente Hitler", acrescentou.

Os repetidos elogios de Ye causaram atrito com Jones, que, conhecido pelas suas posições extremas, disse que "os nazis fizeram coisas realmente más".

Ye e Fuentes encontraram-se recentemente com o ex-presidente Donald Trump para um jantar que foi questionado por alguns líderes do Partido Republicano. Poucos dias antes, Trump foi aplaudido de pé pela Coligação Republicana Judaica, que realizou o seu encontro anual em Las Vegas. Esta quinta-feira, a Coligação emitiu um comunicado que, sem mencionar diretamente Trump, condenou Ye e instou aqueles que ainda o apoiam a distanciarem-se do artista. "Devido aos seus elogios a Hitler, não é exagero que Kanye West seja um intolerante vil e repulsivo que atacou a comunidade judaica com ameaças e difamações no estilo nazi", lê-se no comunicado. "Os conservadores que erroneamente apoiaram Kanye West devem deixar claro que é um pária. Já chega".

Os comentários antissemitas e racistas custaram a Ye negócios lucrativos este ano com marcas como a Adidas e a GAP.

Relacionadas