TVI

Quintino Aires reage a críticas: "Utilizo a palavra bicha há 35 anos"

Sara Oliveira

Quintino Aires foi afastado pela TVI

Foto Arquivo/global Imagens

Psicólogo diz que mantém opinião sobre concorrente do "Big Brother" que levou debate sobre a discriminação dos homossexuais na doação de sangue à Assembleia da República. Afastado da TVI que "refuta qualquer comportamento ou atitude homofóbica, xenófoba ou sexista", Quintino Aires continua a confiar em Cristina Ferreira.

Foi depois de conversar com a diretora de entretenimento e ficção da TVI, Cristina Ferreira, que Quintino Aires falou com o JN sobre mais um momento polémico que protagonizou no "Extra" do programa "Big Brother" e que tanto está a dar que falar.

Na noite de terça-feira, o psicólogo criticou, de forma pouco consensual, o concorrente Bruno D'Almeida, por fazer bandeira do facto de ter levado o debate sobre a doação de sangue por parte de homossexuais à Assembleia da República, desvalorizando o sentimento de orgulho que o jovem transmitiu.

Quintino Aires descreveu-o como "um miúdo irresponsável, [...] Uma bicha desocupada, a achar-se o herói da rotunda e que foi acabar com a discriminação contra a homossexualidade". Segundo o comentador faltou explicar melhor o assunto, "pois há muita gente a ouvir".

As suas palavras depressa fizeram eco nas redes sociais e a estação de Queluz de Baixo não tardou a decidiu o afastamento do comentador "Perante o discurso proferido ontem [na terça-feira], no "BB Extra" pelo comentador Quintino Aires, a TVI afirma que não se revê neste tipo de comentários. Esta é uma opinião do comentador e a TVI refuta qualquer comportamento ou atitude homofóbica, xenófoba ou sexista", adiantou a TVI através de comunicado.

Afastado do "reality show" pela opinião expressa, garante que manteria tudo o que disse, inclusive "bicha". "É uma palavra que utilizo há 35 anos, assim como todos os meus amigos homossexuais", justificou.

Também o resto do discurso seria igual e, segundo Quintino, a explicação é simples: "Eu comentei as imagens de domingo à noite apenas na terça-feira, ou seja, tive 48 horas para escolher as palavras e, por isso, diria o mesmo agora".

Quando se referiu à norma da DGS que impedia os homossexuais e bissexuais de dar sangue, Quintino sublinhou que existia, pois "os homossexuais eram muito mais promíscuos". "Aliás, continuam a querer mostrar a sua promiscuidade quando têm aquela vergonhosa marcha da vergonha", acrescentou, referindo-se à parada LGBT.

"Como homossexual, tenho o direito de não me identificar com aquela marcha. Tenho vergonha e não gosto que os meus sobrinhos vejam e pensem que o tio faz igual", referir, acrescentando: "Incomoda-me perceber que vivo num país em que não temos liberdade de expressão a nossa opinião".

Quintino Aires falou com Cristina Ferreira ao início da noite desta quarta-feira, "como amigos". Em 24 anos na TVI, tem-na como a única pessoa em quem confia "a 100 %". Por isso, "gostava que não misturassem Cristina Ferreira" com toda a polémica.

BB "visa os valores humanos"

A propósito da atitude de Quintino Aires, em comunicado, a TVI sublinhou que "o 'Big Brother' é um formato que visa os valores humanos, com impacto significativo na sociedade, tratando de diversos temas, atividades e pessoas com respeito, seriedade e dignidade". Em conclusão, reforçou que o formato "defende causas e elimina tabus, apostando na diversidade e multiculturalidade que são plenamente respeitadas e celebradas".

Esta edição prima pelo ecletismo e até está a ser elogiada pela imprensa brasileira por "apostar na diversidade sexual". Assim nota o site Terra, destacado que "o 'Big Brother' português tem apresentadores gays e homem trans". Manuel e Luís Goucha são os responsáveis pela condução das galas, estreando uma dupla masculina nessa função.