Realidade e ficção

Bombeiros da novela "Amor, Amor" imunes a polémicas

Bombeiros da novela "Amor, Amor" imunes a polémicas

Ator Renato Godinho descreve como "confusão ridícula" a comparação de cenas na ficção da SIC com a vida real.

A novela "Amor, Amor" estreou segunda-feira com bons resultados nas audiências, mas também com algumas críticas de quem se sentiu atingido pela ficção. Tudo por causa do núcleo protagonizado pelos atores José Fidalgo, Renato Godinho, Pedro Carvalho, Débora Monteiro e Fernando Rocha, ou melhor, a forma como os bombeiros estão a ser retratados. Em várias plataformas digitais, várias pessoas ligadas a corporações de diferentes pontos do país insurgiram-se contra as imagens transmitidas. Na página de Facebook "Diário de um bombeiro", um bombeiro sublinha que "até o comandante é alvo de chacota com aquela gaguez e não só...", mas houve também quem alertasse que "a novela é ficção".

Perante a indignação, Renato Godinho decidiu vir a público deitar "água na fervura", começando por lembrar que "há vários séculos que a ficção e a realidade são primas afastadas". "Confundir identidades fictícias, personagens, retratos "caricaturais", com visões pessoais ou institucionais sobre determinada pessoa, grupo, ou instituição, ou é infantil ou um acto de má fé. Quando falamos de uma telenovela cujo tom é nitidamente cómico, leve - e cujo principal, senão único, objetivo é entreter o público e diverti-lo - essa confusão torna-se ainda mais ridícula", defendeu o ator. Deu ainda a garantia, a título pessoal, mas com a certeza de que se estende a todo aqueles que partilham o projeto, de que o que está no guião "não é gozar", mas sim "brincar". "É diferente", notou. A concluir, Renato agradeceu "à Corporação de S. Pedro de Sintra" pela formação recebida. E enviou "um abraço ao público que sabe distinguir entre o bombeiro da telenovela e o herói que arrisca a vida para salvar outras".

À margem de quaisquer polémicas, Antonino de Sousa, o presidente da Câmara de Penafiel, prefere destacar a escolha do concelho "para cenário deste projeto" levando imagens da cidade "a todo o país e aos quatro cantos do mundo". "E isso é o que no fim vai ficar como memória da novela! O resto é ficção!", rematou o edil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG