Tutoria

Britney Spears recusa-se a atuar enquanto o pai controlar a sua carreira

Britney Spears recusa-se a atuar enquanto o pai controlar a sua carreira

Britney Spears garantiu, este sábado, que não voltará a atuar enquanto o pai mantiver o controlo sobre a sua carreira como parte de uma tutela criada em 2008.

A mensagem da cantora é a última de uma série de comentários públicos sobre o acordo que controla todos os seus assuntos pessoais e financeiros. A tutela foi instituída depois de o seu pai, Jamie Spears, ter pedido, em 2008, em tribunal a autoridade legal sobre a vida da estrela pop devido a preocupações relacionadas com a sua saúde mental.

"Esta tutela matou os meus sonhos. Tudo o que tenho é esperança. Não vou subir a nenhum palco tão cedo com o meu pai a decidir o que visto, digo, faço ou penso", escreveu Britney Spears, que já não atua em público desde 2018, numa publicação no Instagram. "Prefiro partilhar vídeos da minha sala em vez de no palco em Las Vegas".

Na mensagem, Britney disse ainda que "não gostou da forma" como documentários sobre a sua vida trazem "momentos humilhantes do passado".

Britney quer acabar com a tutela legal do seu pai. Este regime aplica-se normalmente a pessoas que são incapazes de tomar decisões, como em caso de demência ou de outras doenças mentais, mas a cantora alega que está a ser "vítima" de um exercício "abusivo" do poder concedido pelo tribunal.

A artista não pode dispor livremente do seu dinheiro nem assinar qualquer documento sem autorização prévia. Além disso, não pode casar nem engravidar, uma vez que não tem autorização para retirar o DIU que usa.

PUB

No mês passado, Britney afirmou, em tribunal, que tinha sido drogada, forçada a atuar contra a sua vontade e impedida de ter mais filhos pelo próprio pai.

Na última quarta-feira, a artista anunciou ter um novo advogado para continuar a tentar acabar com o acordo. A próxima audiência está marcada para dia 29 de setembro em Los Angeles.

Documentários - incluindo "Framing Britney Spears", que foi nomeado para dois prémios Emmy -, juntamente com o movimento #FreeBritney, trouxeram mais atenção e apoio público à cantora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG