Televisão

Cantores mais maduros no regresso de "The Voice"

Cantores mais maduros no regresso de "The Voice"

Mais música portuguesa e um tema já editado na nova temporada do programa que volta em breve ao canal público.

Terminadas as gravações das "provas cegas" do "The Voice Portugal" na Herdade da Barroca d"Alva, em Alcochete, onde o programa de talentos musicais é preparado para a RTP1, os apresentadores e os mentores contaram ao JN o que os telespectadores podem esperar do formato, que se estreia em breve.

"Este programa nunca é igual, ficamos sempre surpreendidos. Há pessoas que nunca vieram cá e perguntamos onde estiveram com aquele talento", diz Catarina Furtado. "O palco é aberto a concorrentes de outras nacionalidades que escolheram Portugal e que se destacam pela qualidade e não tanto pela sua história de vida", acrescenta.

Vasco Palmeirim destaca uma atuação. "Há um caso engraçado de alguém português, que esteve no "The Voice" de outro país, e a quem foi dito que em Portugal não teria sucesso. Veio cá para a prova dos nove".

Numa altura em que se discutem as quotas de música portuguesa que passa nas rádios, o "The Voice Portugal" volta ao canal público com uma novidade. "É um dado da produção: este é o ano em que há mais música portuguesa. A Bárbara Tinoco nasceu aqui, a Cláudia Pascoal, o Tomás Adrião", lembra Catarina Furtado.

"Temos canções de Amália, Tiago Bettencourt, Carlos do Carmo, Nininho Vaz Maia... há muita coisa boa", reforça Vasco Palmeirim. "Há muita gente que vem cantar originais, que compõe e até uma pessoa que já tem uma canção editada, que passou na rádio e que vem cá cantar como prova cega", frisa o também animador da Rádio Comercial.

Garantido é o "colo" que os apresentadores dão aos concorrentes, em momentos de desilusão. "Antes da "prova cega" termos conversas que o "não" pode acontecer e as pessoas sentem que não é o fim do Mundo", realça Vasco. "É sempre preciso dar colo momentâneo, mas as pessoas que não passam dizem que a experiência valeu a pena. Sabem que podem levar um "não", mas que não são maltratados", refere a apresentadora.

PUB

"Armazém" de talento

Prontos estão também os mentores Marisa Liz, Aurea, Diogo Piçarra e António Zambujo. "A qualidade continua, acho que eles são todos feitos num armazém de talento e fazem com que tenham momentos maravilhosos. Cada vez mais temos mais malta que trabalha para isto, que toca, que compõe", refere Marisa Liz.

"Somos surpreendidos sempre e este ano não foi exceção. Há concorrentes superengraçados, com histórias de vida", diz Aurea. "Há muita gente que estuda música. Tratamos as pessoas com respeito e igualdade. Os concorrentes sabem que somos cuidadosos", remata Diogo Piçarra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG