Polémica

Casal ameaçado pondera queixa contra Valete. Rapper critica "feministas pop star"

Casal ameaçado pondera queixa contra Valete. Rapper critica "feministas pop star"

Há um casal que pondera processar Valete após ter recebido ameaças por criticar o tema "BFF". O rapper reagiu em vídeo às acusações de misoginia e criticou as "feministas pop star". A apresentadora Rita Ferro Rodrigues rejeita "lições de feminismo" e Fernanda Câncio fala em vingança.

Ludovic e Maria não conhecem pessoalmente o rapper Valete e antes de estalar a polémica em torno da música "BFF" estavam longe de imaginar que uma crítica ao teor da letra poderia originar uma chuva de ameaças por parte do artista. O casal já contactou a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e está a ponderar uma queixa-crime, dado o teor de mensagens e o medo que asseguram ter sentido nos últimos dias.

Tudo começou quando Ludovic partilhou no Instagram uma tira da página "Gato Mariano", crítica do teor da polémica música, acompanhada de uma frase que o jovem assume não ter sido ponderada: "Vai para o c... Valete". Não tardou a receber mensagens em que lhe eram feitas ameaças de agressão. Seguiu-se a identificação da mulher, que igualmente foi alvo de mensagens ameaçadoras.

De início, Ludovic julgou tratar-se de um falso perfil, mas recorreu inclusivamente à associação Miúdos Seguros na Net para tentar perceber se a página era verdadeira e quais os mecanismos disponíveis para provar a origem das mensagens. "Desativei o Facebook e bloqueei o Instagram, mas nessa altura já tinha recebido mensagens de fãs do Valete, numa autêntica guerra de palavras", conta ao JN.

Perante o vídeo divulgado esta madrugada pelo rapper, em que Valete acusa as "feministas burguesas de ridicularizar" a luta das mulheres, o casal decidiu tomar posição pública sobre o sucedido, "por uma questão ética". "O que ele está a tentar fazer é invalidar o movimento feminista e pôr em causa o trabalho do próprio jornalismo e por isso não podíamos ficar calados", afirmam.

O JN tentou contactar a Sony Music Portugal (representante do cantor) sobre o assunto, mas não obteve resposta.

"Nunca poderei ser acusado de misoginia"

Face às alegadas ameaças que terá enviado a Fernanda Câncio por SMS, vindos a público através do blog da jornalista, "jugular", Valete condena o "feminismo burguês" que não respeita o rap, porém diz apreciar que os seus temas promovam o debate na sociedade.

No vídeo, nunca se refere explicitamente às mensagens enviadas, apenas realça que os fãs "não podem acreditar em tudo o que veem na Internet". "O rap está a atravessar o seu momento mais misógino. Se houver algum movimento feminista a combater a misoginia, o Valete nunca poderá ser alvo", afirma o cantor de 37 anos.

O rapper critica as feministas que, segundo ele, não se deslocam aos subúrbios de Lisboa para conhecer a vida das mulheres que lá vivem. "Venho de uma realidade onde as mulheres são escuras demais para terem empregos que não seja a limpeza. São humilhadas uma vida inteira pelo SEF. Venho de uma subcultura onde a violência doméstica está completamente normalizada", esclarece em vídeo.

Valete diz ainda que conversou com Fernanda Câncio e que esta terá dito que não falava da mulher cigana por "ter medo dos ciganos". Na sua conta de Twitter, a jornalista desmentiu o rapper: "Nunca lhe disse que não falava das mulheres ciganas por ter medo da reação dos ciganos. Aliás já escrevi várias vezes sobre isso e fiz até um documentário para a RTP".

Em reação ao vídeo publicado esta madrugada por Valete, Fernanda Câncio revela ao JN que o cantor não quis publicamente debater, o que segundo a jornalista seria "normal e saudável", as críticas feitas ao tema. "Tem poder e usa-o - neste caso para continuar a ameaça que me fez por outros meios, caluniando-me de forma abjeta e misógina", acrescenta.

No vídeo, Valete conclui que "quem inventar calúnias" contra si, considera-os como seus inimigos, assim "como todo o feminismo burguês". A jornalista considerou o vídeo publicado no YouTube como uma vingança e "um apelo às hostes quando diz «a Fernanda Câncio é minha inimiga»", adianta ao JN.

"Acha que pode dar uma lição de feminismo"

Em comunicado enviado ao JN, a apresentadora de televisão Rita Ferro Rodrigues, outra das visadas no vídeo de Valete, critica a "estratégia de populismo" em atacar mulheres que não gostaram da música e denunciaram as ameaças feitas alegadamente pelo rapper a várias pessoas, em sequência das críticas à música "BFF".

A também mentora da associação feminista Capazes refere que "é muito cómico o Valete achar que pode dar uma aula de feminismo às mulheres". Para Rita Ferro Rodrigues, o vídeo é a continuação das ameaças que o rapper fez e das quais não fala.

Carolina Marcello, do movimento feminista Slutwalk Porto, acredita que a mensagem que o vídeo "BFF" passa é da "normalização muito grande da violência contra a mulher". "Parece que pôr uma caçadeira na boca de alguém é um comportamento esperado e normal quando existe uma traição", explica ao JN.

A representante do movimento recorda que o feminismo deve ser pensado para todas as classes sociais, uma das críticas feitas pelo rapper. "O Valete não pode é basear-se nisso para invalidar todas as críticas que lhe fizeram", acrescenta Carolina Marcello.

A mais recente música do rapper conta a história de um jovem traído pela namorada com o amigo e o posterior planeamento do assassinato dos dois por vingança e ciúmes. Tanto na letra como nas imagens do videoclipe, há cenas explícitas de uma mulher com uma arma na boca e ameaças físicas e verbais a duas pessoas.

Várias personalidades e figuras públicas como as cantoras Sónia Tavares e Blaya vieram também publicamente mostrar o seu desagradado pelo tema de Valete.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG