O Jogo ao Vivo

Polémica

Engordar e emagrecer: eles dão o corpo à representação

Engordar e emagrecer: eles dão o corpo à representação

O ator britânico Christian Bale está cansado de engordar e de emagrecer para ter papéis no cinema. Aos 45 anos, o artista perdeu mais de 27 quilos para o filme "O maquinista", engordou 22 para ser Dick Cheney em "Vice" e voltou a emagrecer quase 32 para o novo "Le Mans 66: O duelo", em exibição em Portugal. Ou seja, nos últimos anos, o peso do ator oscilou entre os 59 e os 103 quilos.

Agora, pede que se acabe com essa imposição da indústria cinematográfica e conta com o apoio do ator Matt Damon, que teve de emagrecer 13 quilos para "O génio indomável".

Christian Bale diz mesmo: "Se continuar assim, posso morrer e eu não quero morrer". E contesta que a perda de peso seja tema recorrente na promoção de filmes.

A expressão "dar corpo pela representação" ganha, assim, contornos polémicos, embora muitos sejam os atores que, por amor ao seu trabalho, se submetem a processos pouco saudáveis. Foi o caso de Renee Zellweger, que, para ser protagonista da saga "Bridget Jones", engordou entre dez e 13 quilos, tendo de recorrer, depois, a plásticas para recuperar a silhueta.

Mudar para novelas

Também no mundo televisivo a imposição leva artistas a mudaraem de visual, muitas vezes de forma radical. Veja-se o exemplo da atriz brasileira Debora Secco: para interpretar uma seropositiva numa novela em gravação emagreceu, num mês, 12 quilos, ficando quase irreconhecível. Em Portugal, João Catarré já foi notícia por ter perdido 25 quilos para a novela da TVI "Jogo duplo" e agora por emagrecer mais 18 para entrar na trama "Terra brava" da SIC, onde aparece musculado .

Voltemos a Christian Bale e às suas queixas. Ao pesar 59 quilos no filme "O maquinista" e ao procurar a perfeição, o ator atingiu o seu limite. Ficou um verdadeiro esqueleto. Ao contrário, Russell Crowe, o homem musculado de "O gladiador", já teve de pesar 121 quilos e depois voltar a ter 97. Tudo em dois meses.