Afogamento

Ex-marido de Naya Rivera vai para tribunal: o barco "não tinha sequer uma boia"

Ex-marido de Naya Rivera vai para tribunal: o barco "não tinha sequer uma boia"

Falta de avisos sobre as fortes correntes do Lago Piru, onde a atriz Naya Rivera morreu afogada, e de "condições de segurança" no barco alugado para o passeio com o filho na origem da queixa apresentada por Ryan Dorsey.

O ex-marido de Naya Rivera instaurou um processo em tribunal por acreditar que a morte da atriz, por afogamento no Lago Piru, na Califórnia, no passado mês de julho, poderia ter sido evitada.

Ryan Dorsey considera que o barco alugado por Naya, de 33 anos, para passear com Josey, filho de cinco anos do casal, não reunia as necessárias condições de segurança.

"O barco não estava equipado com uma escada de segurança acessível, uma corda adequada, uma âncora, um rádio ou quaisquer outros mecanismos de segurança que ajudassem os nadadores a regressar", defendeu, citado pela BBC. Além disso, acrescentou, não havia sequer "uma boia ou outro equipamento de flutuação".

De recordar que o corpo da atriz da série "Glee" esteve desaparecido durante cinco dias e que a criança acabou por ser encontrada, no barco, com um colete salva-vidas.

Em conferência de imprensa, o xerife do condado de Ventura, Bill Ayub, afirmou que a atriz "deve ter reunido energia suficiente para colocar o filho no barco, mas não para se salvar".

Josey contou à polícia que a mãe tinha ido nadar mas que não voltou e que, "quando olhou para trás", Naya já tinha desaparecido da superfície.

Na queixa apresentada, Ryan Dorsey alega também que o Lago Piru não apresenta "nenhum aviso a alertar os nadadores para condições potencialmente perigosas, como fortes correntes, baixa visibilidade e mudanças na profundidade da água".

Outras Notícias