Rutura

Fim de romance entre Joana Cruz e Alberto Índio após vitória contra perseguidor

Fim de romance entre Joana Cruz e Alberto Índio após vitória contra perseguidor

Nos últimos dias, a vida da locutora da RFM Joana Cruz tem sido um manancial de emoções. Primeiro, foi o desfecho do processo contra o homem que a perseguia e ameaçava há cerca de cinco anos com o tribunal a decretar cinco anos de prisão efetiva ao arguido; depois, foi o fim do namoro de sete anos com Alberto Índio. E foi o músico que, magoado, assumiu este sábado a rutura nas redes sociais.

"Não se escolhem as alturas nem para começar uma relação nem para terminar", escreveu no Facebook, considerando a fase que vive como a "pior em 40 anos". E refere: "Logo quatro dias depois de me dizeres que me amavas a começar 2020". "Pensei muitas vezes em escrever aqui esta realidade , mas nunca fui pessoa de esconder as verdades nem de ter vergonha do que sinto. É a minha natureza e prefiro que saibam por mim da forma mais real", notou o artista portuense numa publicação pública. Índio assumiu ter ido ao chão com o desfecho da relação, mas que está pronto a levantar-se para voltar a ser o que sempre foi. "Admirado por muitos e odiado por outros por ser o que sempre sou", sublinhou.

Antes de ir ao assunto, Alberto, o autor de "Azul e branco é o coração", uma das músicas de apoio ao F. C. Porto, começou por agradecer a Joana Cruz os sete anos de vida em comum. Deixa transparecer alguma mágoa, mas diz não "guardar rancor", desejando que ela seja "feliz".

"Obrigado por tudo! Também quero muito ser feliz. A Inês também merece isso e vai ser! Um beijo e um abraço à distância", concluiu, referindo-se ainda à filha que tem do relacionamento interior.

Filha doente

Inês tem 13 anos e luta contra um cancro e é na sua recuperação que está focado. "A minha filha é o maior amor da minha vida. Minha querida filha que nunca te larguei, nem nunca te vou largar a tua mãozinha", jurou. Joana foi acompanhando a doença da enteada, pelo menos até há pouco tempo.

Alberto e a filha também foram alvo do "stalker" que, desde 2014, assustava Joana Cruz, sabendo todos os seus passos, inclusivamente onde era a escola da adolescente, um pesadelo que agora terminou. O JN tentou, sem sucesso, falar com a radialista.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG