EUA

Harvey Weinstein condenado a 23 anos de prisão por violação

Harvey Weinstein condenado a 23 anos de prisão por violação

Dois anos e meio depois de ter visto o seu nome no meio do olho do furacão que foi o movimento #MeToo, Harvey Weinstein foi condenado a 23 anos de prisão pelo Tribunal de Nova Iorque, por crimes sexuais.

A sentença foi lida esta quarta-feira e diz respeito aos crimes de ato sexual criminoso no primeiro grau e violação no terceiro. Weinstein, 67 anos, foi considerado culpado por ter violado Jessica Mann, cujo nome não foi identificado, e forçado a produtora Miriam Haley (sua assistente na altura do crime) a praticar-lhe sexo oral.

"É o culminar da colossal queda de um homem que foi uma das figuras mais influentes e poderosas de Hollywood", escreveu hoje a revista Variety.

Das cinco acusações de crimes sexuais que recaíam sobre Harvey Weinstein, o júri revelou a 24 de fevereiro que o considerava culpado de dois crimes sexuais ocorridos em 2006 e 2013 com duas mulheres: ato sexual criminoso em primeiro grau e violação em terceiro grau.

Antes da leitura da sentença, as duas mulheres, Miriam Haley e Jessica Mann, prestaram declarações em tribunal e recordaram os crimes e as sequelas psicológicas daí resultantes.

"O que ele fez não só me tirou dignidade enquanto ser humano e mulher, como ainda arrasou a minha confiança", disse Miriam Haley, citada pela revista Variety.

A mesma publicação recorda o que Jessica Mann disse em tribunal: "Não sei como explicar os horrores de ser violada por alguém com poder. O impacto psicológico é profundo. A violação não é só aquele momento, é para sempre".

Weinstein, detido em maio de 2018, insistiu na inocência, alegando que todos os atos foram consentidos, mas hoje admitiu estar "totalmente confuso" e com um "profundo remorso". "Os homens estão confusos com tudo isto", disse.

A defesa tinha pedido uma pena mínima de cinco anos de prisão e a acusação pediu 29 anos de prisão para o produtor.

No decorrer deste processo judicial, em janeiro, as autoridades de Los Angeles (Califórnia) revelaram a existência de outras acusações de crimes sexuais, nomeadamente violação, ocorridos em fevereiro de 2013, com duas outras mulheres.

Segundo a Associated Press, não foram adiantadas quaisquer informações sobre estes casos, mas os crimes indicados implicam uma pena de prisão superior a 28 anos.

Weinstein, detido em maio de 2018, insistiu na inocência, alegando que todos os atos foram consentidos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG