Síria

Alyssa Milano usa sexo para alertar para crise na Síria

Alyssa Milano usa sexo para alertar para crise na Síria

Uma alegada filmagem pornográfica divulgada por Alyssa Milano, estrela da série "Chefe, mas Pouco", tornou-se num dos vídeos mais vistos nos EUA.

Alyssa Milano gravou e partilhou através do site "Funny or Die" e da rede social Twitter um curto filme, com a duração de pouco mais de dois minutos, em que simula um momento íntimo com o namorado. "O meu vídeo sexual foi pirateado. Não sei o que dizer. Vou partilhá-lo para que seja eu a controlar esta confusão", escreveu a atriz.

Porém, o vídeo foi apenas uma chamada de atenção para a situação na Síria. Depois de se gravar a si própria e ao namorado num quarto, em roupa interior, e de fixar a câmara em frente a uma cama com pétalas de rosas, a atriz dá um pontapé "acidental" na mesma e esta fica voltada para um ecrã de televisão, onde um jornalista dá conta da violência na Síria e da possível intervenção das forças militares dos EUA no país.

"Penso que foi uma forma bem engraçada de fazer que as pessoas tomassem consciência de que há países a lidar com problemas bem graves. É bom que as pessoas acabem por aprender alguma coisa em relação ao que se passa na Síria - mesmo que para isso tenho de gravar um alegado vídeo sexual para as atrair", disse Alyssa Milano, embaixadora da UNICEF, em declarações à revista "Mother Jones".