Pessoas

Angelina Jolie sobre divórcio: "Prefiro chorar no banho do que em frente aos meus filhos"

Angelina Jolie sobre divórcio: "Prefiro chorar no banho do que em frente aos meus filhos"

A atriz Angelina Jolie abriu o seu coração à revista "Vanity Fair" e contou como está a lidar com a separação de Brad Pitt, anunciada em setembro do ano passado.

A estrela de Hollywood Angelina Jolie é o rosto escolhido para a edição de setembro da publicação norte-americana "Vanity Fair". Em entrevista, Jolie revelou como a sua vida mudou depois do fim da relação com Brad Pitt e como enfrenta os desafios de ser uma mãe divorciada.

"Há nove meses que estou empenhada em ser uma boa dona de casa. Apanho o cocó do cão, lavo a loiça e leio histórias de embalar. Tenho melhorado nas três coisas", confidenciou a atriz, de 42 anos. A proteção sobre as crianças aumentou a partir do momento em que a sua saúde se debilitou, após ter realizado uma cirurgia para retirar os ovários como forma de prevenção do cancro e ter sido diagnosticada, no ano passado, com Paralisia de Bell, uma patologia que afeta os nervos faciais.

"Por vezes, as mulheres deixam-se ficar para último plano, até que se manifesta na sua saúde. Tenho o cabelo mais grisalho e a pele mais seca, não sei se será da menopausa ou do ano que passei. Sinto-me mais mulher porque estou a priorizar a minha família e tenho o controlo da minha vida e da minha saúde", disse a ex-mulher de Brad Pitt.

O anúncio do divórcio de um dos casais mais badalados da indústria cinematográfica, apelidado de "Brangelina", surgiu no ano passado, depois de 13 anos de relacionamento, alegando "diferenças irreconciliáveis". Brad e Angelina conheceram-se durante as gravações do filme "Mr and Mrs Smith", em que interpretam um casal de espiões.

Na entrevista, a atriz vencedora do Óscar de Melhor Atriz Secundária em 2000 pela sua prestação em "Girl, Interrupted", afirmou que a relação se deteriorou no verão de 2016, mas nega que a razão que motivou a separação tenha sido por causa do estilo de vida sedentário de Pitt, depois de anos a viajar pelo mundo. "As coisas tornaram-se muito complicadas. Esse não era o problema [o estilo de vida sedentário]. Viajar sempre foi e é uma das grandes oportunidades que podemos oferecer aos nossos filhos", revelou à mesma publicação.

No entanto, Angelina parece ter recuperado a tranquilidade, que considera ser determinante na vida dos filhos. "Não quero que os meus filhos se preocupem comigo. Creio que é muito importante chorar no banho, em vez de chorar à frente deles. Preciso de saber que está a correr tudo bem, mesmo que não esteja segura de que está tudo bem", confidenciou a atriz.

Apesar da surpreendente notícia da separação, a estrela do cinema norte-americano garantiu que os problemas com o ex-marido já foram ultrapassados e resolvidos. "Nós já recuperámos dos acontecimentos que levaram ao divórcio. Nós preocupamo-nos um com o outro e com a nossa família. Estamos a trabalhar com o mesmo objetivo", disse à "Vanity Fair". Angelina e Brad são pais de Madox (15 anos), Pax (13), Zahara (12), Shiloh (11) e Vivienne e Knox (9).

As acusações de agressão de que Pitt foi alvo motivaram uma investigação por parte do FBI e dos serviços sociais de Los Angeles e um teste de álcool e drogas. O casal encontra-se no processo de divórcio, em que o ator, de 53 anos, procura obter a custódia partilhada das crianças, que até agora visita com supervisão.

Angelina Jolie está em promoção do seu quinto projeto cinematográfico como realizadora, "First They Killed My Father", coproduzida pela plataforma de streaming Netflix. O filme retrata a história de sobrevivência de uma criança durante o regime de Khmer Vermelho, no Camboja, terra natal do filho mais velho de Jolie.