Monarquia

Pai de Meghan Markle compara família real britânica a seita religiosa

Pai de Meghan Markle compara família real britânica a seita religiosa

O pai de Meghan Markle ainda não esqueceu o casamento da filha, com quem não fala desde o dia seguinte à boda, com o príncipe Harry de Inglaterra. Em entrevista ao "The Sun", Thomas comparou a família real britânica a uma seita religiosa.

Para o antigo diretor de iluminação, o comportamento da família encabeçada pela rainha Isabel II assemelha-se à cientologia, um conjunto de crenças religiosas criadas em 1952 por Lafayette Ronald Hubbard, que criaram polémica devido aos seus métodos e às suas práticas secretas.

"Eles são como o culto, como a cientologia, porque são secretos. Eles fecham a porta, puxam as persianas e colocam os dedos nos ouvidos para não precisarem de ouvir ninguém", criticou o progenitor da agora duquesa de Sussex.

Thomas Markle acredita ainda que os membros da realeza britânica devem ter mesmo "um aperto de mão secreto" e que se alguém fizer uma questão sobre eles, "eles não vão responder".

Recorde-se que o pai de Meghan Markle ainda não conheceu o príncipe Harry e não esteve presente no casamento por motivos de saúde. Desde essa altura que não consegue contactar a filha, com a qual a sua relação se tem vindo a deteriorar devido às entrevistas que tem dado e aos comentários pejorativos que tem tecido sobre a família real.

Pelo menos, é este o motivo apontado recentemente por uma fonte próxima de Meghan ao "Daily Mail", ao qual referiu também que a relação entre pai e filha só irá melhorar quando este se dirigir a ela de uma "forma respeitosa".

Uma das críticas mais duras que Thomas direcionou ao palácio de Buckingham é a de que Meghan está "apavorada" com a sua nova vida e que isso é percetível no "sorriso de dor" que esta tem apresentado em público.

Outras Notícias