Pessoas

Toback sobre 300 mulheres que o acusam de assédio: "Vadias mentirosas"

Toback sobre 300 mulheres que o acusam de assédio: "Vadias mentirosas"

O argumentista e realizador James Toback concedeu declarações à revista "Rolling Stone" para se defender das mais de 300 mulheres que o acusam de assédio sexual.

Durante uma conversa telefónica com um jornalista da "Rolling Stone", James Toback negou todas as acusações. Garante que não conhece as alegadas vítimas de assédio sexual e chama-as de "vadias mentirosas".

"Só quero cuspir na cara de qualquer pessoa que diga isso sobre mim", diz o realizador norte-americano de filmes como "De Tanto Bater o Meu Coração Parou", "Black and White" ou "O Ás do Engate" e do documentário "Tyson". "Ninguém que trabalhou comigo ou que me conhece diria algo assim. Ninguém", frisa.

As acusações surgiram há cerca de uma semana, com 38 mulheres a descreveram ao jornal "Los Angeles Times" casos de assédio sexual de que foram alegadamente vítimas por parte de Toback. Atualmente, são mais de 300, incluindo Selma Blair, Rachel McAdams e Julianne Moore.

Louise Post, vocalista e guitarrista do grupo Veruca Salt, e a atriz Adrienne LaValley, que participou na série de TV "Quantico", são duas delas. "Ele disse-me que nada lhe daria mais prazer do que masturbar-se enquanto olhava para mim", contou. "Tentou esfregar-se na minha perna", apontou LaValley. "Senti-me como uma prostituta, totalmente dececionada comigo mesma", acrescentou.

O argumentista de 72 anos, nomeado para um Óscar por "Bugsy" (1991), com Warren Beatty, referiu à "Rolling Stone" que é "tudo estúpido demais" para que "perca tempo a responder".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG