Gente

Morte de Elis Regina completa 30 anos

Morte de Elis Regina completa 30 anos

O Brasil chorou a perda da sua maior intérprete da MPB há exactamente 30 anos. Elis Regina, a Pimentinha, morreu no auge da carreira, vítima de uma mistura fatal de cocaína e álcool. Deixou três filhos e um legado musical de referência.

Elis Regina nasceu em 1945, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Aos 11 anos, iniciou a carreira num programa de rádio para crianças. O primeiro disco veio cinco anos mais tarde. Mas foi no início da década de 1960 que a Pimentinha surgiu como a maior diva da Música Popular Brasileira.

A sua presença de palco inconfundível, a voz e os trejeitos cativaram rapidamente o público que lotava os festivais nacionais. O primeiro grande sucesso foi com a canção "Arrastão", no Festival de Música da extinta Tv Excelsior. No fim da década, saiu em digressão pela Europa.

Elis logo caiu nas graças do público europeu. A jovem brasileira, inclusive, conseguiu o feito de se apresentar duas vezes num mesmo ano no Olympia, uma tradicional casa de espectáculos de Paris, França.

Nas décadas seguintes, a Pimentinha, que pode ser considerada a "criadora" da MPB, consolidou-se como a maior intérprete do Brasil. Elis Regina foi a primeira artista brasileira a vender mais de um milhão de cópias, com "Dois na Bossa", gravado junto com Jair Rodrigues, em 1969.

Engajada na política e filiada ao Partido dos Trabalhadores, livrou-se do exílio e da prisão devido a sua enorme popularidade. Não escapou, entretanto, de cantar o Hino Nacional no estádio, num evento de militares, facto que revoltou a esquerda brasileira.

Elis foi responsável por lançar novos nomes para o "estrelato". A sua lista de "afilhados" é bastante extensa. A diva catapultou para o sucesso compositores como João Bosco, Fagner, Belchior, Milton Nascimento, Ivan Lins, entre outros.

O outro legado de Elis são filhos João Marcelo Bôscoli, fruto do relacionamento com o músico Ronaldo Bôscoli, e Pedro Camargo Mariano e Maria Rita, ambos do relacionamento com o pianista César Camargo Mariano.

No passado mês de Novembro, Maria Rita anunciou uma série de cinco concertos que fazem parte do projecto "Viva Elis", com canções eternizadas na voz da sua mãe, em locais públicos de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre. Também será lançado um disco de raridades da cantora, que terá uma canção inédita: "Comigo É Assim".